Corporação emitiu mais de mil autos de infração relacionadas ao trânsito

A Guarda Municipal de Volta Redonda (GMVR) fez um balanço do serviço realizado no primeiro mês sob a nova administração municipal. De acordo com levantamento feito pelos agentes, foram emitidos 1.212 autos de infração relacionados a irregularidades de todos os tipos no trânsito.

O comandante da Guarda, João Batista dos Reis, explicou que uma das ações que foram prioridade na atuação da GMVR foi a fiscalização das motocicletas irregulares e ilegais. Segundo ele, foi grande o número de reclamações sobre barulho excessivo e desordem no trânsito.

“A moto com escapamento aberto tem nos trazido preocupação. A maioria dos condutores não tem permissão para dirigir, alguns veículos estão sem placa. São pessoas que estão desrespeitando as leis e trazendo transtorno para o trânsito e para a tranquilidade dos moradores. Alguns praticam manobras de risco, eventos não autorizados, e colocam em risco a própria integridade física. Vamos intensificar as operações em conjunto com a Polícia Militar (PM) para retirar essas motocicletas de circulação”, afirmou o comandante.

No mês de janeiro, foram removidas ao depósito público 45 motocicletas e sete automóveis. Dentre as autuações com maior número de registros, estão também o estacionamento irregular (496) e os atos de utilizar, segurar ou manusear o telefone celular dirigindo (286).

A GMVR também fez o registro de 127 acidentes de trânsito sem vítima no último mês, e atendeu 14 ocorrências, como: lesão corporal, dirigir sob influência de álcool, veículo fruto de roubo ou furto recuperado, estelionato, entre outros.

“A gente continua com patrulhamento preventivo, auxiliando as forças de segurança, polícias Civil e Militar”, frisou Batista.

As ações da Guarda Municipal também envolveram o trabalho de orientação e prevenção. Segundo o comandante João Batista, os passeios públicos estão sendo ocupados por vendedores ambulantes que acabam tirando a atenção dos motoristas e colocando a própria vida em risco.

“Estamos há mais de 15 dias orientando, dando oportunidade para buscarem a legalidade. Aos que circulam entre os carros e nos sinais luminosos, existe o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) que proíbe essa atividade. Orientamos para que procurem ajuda para sair da informalidade, da ilegalidade”, explicou.

A orientação também fez parte da atuação da Guarda Municipal durante a pandemia, através da ‘Patrulha da Vida’ – criada com o objetivo de fiscalizar e orientar sobre o cumprimento do decreto municipal. Os agentes permanecem nas ruas orientando, oferecendo máscaras para que as pessoas se protejam e evitem a propagação do vírus.

Foto: Divulgação/PMVR