Procedimentos serão realizados entre os dias 25 e 29; de julho até agora já foram realizadas 3.661 cirurgias

A Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), retoma na próxima quinta-feira, dia 25, as cirurgias eletivas de catarata, através do projeto ‘Revi-VER’. Os procedimentos serão realizados até a próxima segunda-feira, dia 29, com retorno para revisão previsto para os dias 8 e 9 de dezembro. Essas serão as últimas cirurgias realizadas esse ano. Em janeiro, os exames e cirurgias serão retomados e a expectativa é de ofertar mais 6 mil cirurgias de catarata durante o ano que vem.

Desde que o projeto ‘Revi-VER’ foi implantado, em julho desse ano, já foram feitas 3.661 cirurgias. A previsão é que até dezembro mais 839 cirurgias sejam realizadas, com um total de 4,5 mil cirurgias feitas em 2021. Antes disso, a fila de aguardo era extensa. Há mais de dois anos os atendimentos tinham sido interrompidos na rede pública municipal, gerando uma demanda reprimida de quase três mil moradores inscritos na espera.

Os procedimentos são realizados em um centro cirúrgico oftalmológico móvel, um veículo adaptado que fica estacionado na Ilha São João, onde são promovidos os atendimentos, incluindo os exames pré-operatórios, seguindo as medidas de prevenção à Covid-19 e as normas de higiene e segurança estabelecidas pela Vigilância em Saúde.

Através do ‘Revi-VER’ os pacientes são acompanhados em todas as etapas: exames pré-operatórios, cirurgia e pós-cirúrgico. A cirurgia de catarata é um procedimento considerado simples para trocar o cristalino, embaçado pela catarata, por uma lente artificial. Em média, a intervenção dura entre 10 a 20 minutos.

Quem pode se inscrever no Projeto Revi-VER
Todos os moradores de Volta Redonda que já tenham sido diagnosticados com catarata. O interessado ou familiar deve procurar o DIPA – Departamento de Informação, Programação e Avaliação - que fica na Secretaria de Saúde, no antigo hospital Santa Margarida, no bairro Niterói, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas.

É preciso levar cartão do SUS, CPF e documento com foto do paciente, além de um comprovante de residência. Não é necessário ter encaminhamento oftalmológico, pois haverá avaliação médica antes do procedimento cirúrgico.

Foto: Geraldo Gonçalves- Secom/PMVR