Entidades cadastradas no Conselho Municipal de Segurança Alimentar receberam as doações feitas por torcedores de Flamengo e São Paulo

Vinte e quatro entidades cadastradas no Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (COMSEA) foram beneficiadas com os alimentos arrecadados pela Prefeitura de Volta Redonda durante a final da Copa do Brasil. Além do ingresso, torcedores de Flamengo e São Paulo levaram um quilo de alimento não perecível para assistir à partida realizada na última segunda-feira, dia 15, no Estádio da Cidadania Raulino de Oliveira.

A ação, coordenada pelo COMSEA, arrecadou 2,5 toneladas de alimentos, que foram doados a entidades que prestam assistência na área de segurança alimentar no município. Cada grupo, que fornece cesta básica ou alimentação a famílias em vulnerabilidade, recebeu entre 100 e 150 quilos de alimentos.

O Banco de Alimentos de Volta Redonda, programa municipal de segurança alimentar, que atua no combate à fome, disponibilizou o material arrecadado para as entidades após passarem por análise de nutricionista da Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac), pasta responsável pelo programa. Depois da contabilização e averiguação de bom estado para consumo, os alimentos foram retirados pelas entidades cadastradas no COMSEA.

Nesta ação, foram beneficiadas a Casa de Recuperação Desafio Jovem Missionário Gunnar Vingren; Casa de Recuperação Desafio Jovem Lugar de Gente Feliz; Casa Pentecostal de Recuperação as Doze Tribos de Israel; Associação Beneficente O Resgate; Centro Espírita A Caminho da Luz; VIH-VER; Grupo Espírita União Fraternidade e Amor (GEUFA); Centro Espírita Advertência Fraternal; Casa da Criança e do Adolescente; Lar e Escola Recanto das Crianças; e Conselho Central de Volta Redonda da Sociedade de São Vicente de Paulo – Pinto da Serra.

Ainda receberam parte dos alimentos o Centro Espírita Cirineus; Igreja Congregacional da Vila Mury; Associação de Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda (AAP-VR); APADA (Associação dos Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos); APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais); Apadefi (Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Físicos); Centro Espírita O Sal da Terra; ONG Ser e Crescer Sempre Jovem; Instituto DAGAZ; NAC (Núcleo de Ação Comunitária); Associação Cultural, Social e Radiodifusão de Volta Redonda; SOS; e APMI (Associação de Proteção à Maternidade e à Infância).

Foto: Divulgação/PMVR