Programação prevê seis pacientes operados por sábado e a meta é encerrar demanda reprimida dos casos prioritários até o fim deste ano

As primeiras cirurgias do mutirão de ressecção transuretral de próstata foram realizadas no Hospital São João Batista (HSJB), em Volta Redonda. Seis pacientes passaram pelo procedimento para tratamento da hiperplasia prostática benigna (crescimento da próstata) no último sábado, dia 13, e no próximo fim de semana, mais seis serão operados. A programação prevê seis cirurgias por sábado, dando prioridade para pacientes que fazem uso de sonda vesical. E, neste ritmo, a demanda reprimida será zerada até o Natal deste ano.

O vice-prefeito Sebastião Faria, diretor geral do hospital, informou que as primeiras cirurgias foram um sucesso. Os procedimentos iniciaram pela manhã e, por volta das 15h, o último paciente já tinha deixado a sala de cirurgia. Além disso, todos tiveram alta no prazo considerado normal, que é de 48h. “Toda equipe envolvida no mutirão está de parabéns pela dedicação”, falou.

“Estamos atendendo um pedido do prefeito Antonio Francisco Neto e vamos alcançar nosso objetivo e zerar a fila de espera para este público-alvo até o fim do ano. Retomamos as cirurgias eletivas em agosto de 2021, após interrupção pela pandemia da Covid-19, mas ainda assim vimos necessidade de ampliar a oferta da cirurgia urológica”, afirmou Faria, lembrando que a medida também chama atenção para Novembro Azul, mês de conscientização para prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata.

O coordenador da equipe de Urologia do Hospital São João Batista, José Ramon, ressaltou que a maioria da população masculina apresenta crescimento da próstata a partir dos 45 anos. O problema pode bloquear a passagem da urina pela uretra. “Alguns casos são resolvidos com medicação, outros precisam da utilização da sonda até a realização da ressecção transuretral de próstata. Focamos a prioridade neste último caso por entender que a retirada da sonda garante mais qualidade de vida aos pacientes”, falou, lembrando que são cerca de 35 pacientes nesta situação.

Ele informou que a equipe de Urologia do HSJB, responsável pelo mutirão, é composta por cinco urologistas, um anestesista, uma enfermeira e três técnicos de enfermagem. “Além destes profissionais, destaco a importância dos funcionários responsáveis pela limpeza das salas de cirurgia, da farmácia satélite e o maqueiro. O trabalho deles é fundamental, principalmente, quando são realizadas muitas cirurgias com curto período de intervalo”, destacou José Ramon.

Foto: Divulgação/PMVR