Procedimento é oferecido gratuitamente pela Prefeitura de Volta Redonda para correção da escoliose em crianças e adolescentes até 18 anos

As primeiras cirurgias do projeto ‘Coluna Reta’ foram realizadas em duas adolescentes do município no último fim de semana, por uma equipe de ponta capitaneada pelo médico Juliano Coelho, ortopedista especialista em coluna e responsável pelo projeto da Prefeitura de Volta Redonda. O Coluna Reta, proposta pioneira no Brasil, oferece gratuitamente tratamento e prevenção da escoliose para crianças a partir de 6 anos e adolescentes até 18 anos. O projeto foi implantado há cinco meses no município.

O diagnóstico da escoliose é feito por meio de exame físico e de imagens. Durante a triagem, podem ser solicitadas radiografias, tomografias e ressonâncias magnéticas, por exemplo. Com os exames em mãos, é possível aos médicos identificar e medir com precisão a curvatura da coluna. A partir daí, os profissionais passam a avaliar o tipo de tratamento recomendado, até mesmo se há necessidade de uma intervenção cirúrgica.

Maria Clara Barbosa de Matos e Ludmila Maciel da Silva Teixeira, ambas de 17 anos, estavam sendo acompanhadas desde o início pelo projeto, após serem diagnosticadas com Escoliose Idiopática. As pacientes passaram pela cirurgia de correção na coluna neste sábado, dentro de um procedimento indicado para curvaturas a partir de 50 graus ou acima para evitar a progressão da lesão.

As cirurgias duraram em média quatro horas cada e contaram com o apoio médico neurofisiologista Ricardo Ferreira e da empresa fabricante de implantes ortopédicos, Neoortho. Segundo Juliano Coelho, a cirurgia de escoliose é delicada e necessita ser monitorada por outras especialidades médicas. “É uma cirurgia delicada, outros especialistas em neurofisiologia, neurologia e anestesiologia monitoram o procedimento, principalmente a parte neurológica”, disse o médico.

As cirurgias ocorreram no Hospital São João Batista (HSJB), Juliano Coelho, citou ainda que as adolescentes saíram andando após os procedimentos, mas seguem internadas para avaliação no pós-operatório. A previsão de alta de ambas deve acontecer nesta quarta-feira, dia 10. Vale lembrar que no pós-cirúrgico as pacientes recebem medicamentos para controle da dor (analgesia).

O projeto também oferece reabilitação por meio de fisioterapia na Policlínica da Cidadania para retorno dos pacientes às atividades de rotina. “A cirurgia visa oferecer qualidade de vida aos pacientes, não só a correção postural, mas a prevenção a tempo de evitar danos aos órgãos. Eu sempre estimulo os meus pacientes a andar após a cirurgia para adaptação do próprio corpo”, comentou.

Apoios importantes

O neurofisiologista Ricardo Ferreira veio de São Paulo dar apoio nas duas cirurgias de escoliose realizadas no fim de semana. O médico mencionou que o apoio prestado durante os procedimentos garantiu a proteção neural, a fim de evitar riscos cerebrais às pacientes. O neurofisiologista ainda classificou o projeto como primordial para a saúde pública destacando a iniciativa da Prefeitura de Volta Redonda.

“Fui convido pelo doutor Juliano para atuar nesse projeto, que desde o começo me cativou e me chamou a atenção, por ser uma iniciativa gratuita e humana no oferecimento de uma cirurgia tão importante na vida dos adolescentes. Essas pessoas às vezes esperam por muito tempo na fila por essa cirurgia no sistema de saúde, o tempo é precioso para quem é diagnosticado com escoliose, pois pode se agravar. Sou absolutamente um admirador desse projeto e só tenho a agradecer ao prefeito Antonio Francisco Neto e ao doutor Juliano por essa belíssima iniciativa na saúde de Volta Redonda”, comentou o neurofisiologista Ricardo Ferreira.

O gerente nacional da empresa brasileira Neoortho, Frederico Lemos, citou a participação no projeto no fornecimento dos implantes de coluna.

“Para nós da Neoortho está sendo muito importante participar junto com o Dr. Juliano desse projeto tão maravilhoso, fornecendo os implantes de coluna para o projeto Coluna Reta. A correção da Escoliose Idiopática representa a mudança da vida de uma criança e ou adolescente; e o mais interessante e que em poucas horas conseguimos observar o resultado. Conseguir contribuir com a felicidade desses adolescentes e muito satisfatório para a nossa empresa. E estamos muitos felizes por estarmos juntos nesse projeto com a prefeitura”, disse o gerente Frederico Lemos.

O projeto Coluna Reta

Os atendimentos do projeto Coluna Reta são feitos as sextas-feiras na Policlínica da Cidadania, que fica no Estádio Raulino de Oliveira. Todas as crianças e adolescentes que já foram atendidos voltam para avaliações após um ano.
Desde que o projeto foi implantado, já foram triadas 200 crianças, sendo que dez delas tem indicação cirúrgica. A programação é que sejam realizadas mensalmente duas cirurgias no Hospital São João Batista, aos sábados.

Escoliose Idiopática

Apesar de pouco conhecida pela população, a Escoliose Idiopática já atinge milhões de pessoas no Brasil e em todo mundo. A escoliose é um desvio lateral e rotacional da coluna vertebral que acontece no período do estirão do crescimento (9 aos 14 anos). Mais comum em meninas, ela acomete em torno de 4% da população mundial, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Quando em estágio avançado, causa deformidade estética inaceitável, falta de ar, limitação para atividades laborais e diversos problemas psicológicos.

 

Foto: Divulgação/PMVR