Leitos destinados a pacientes infectados pelo novo coronavírus foram remanejados para ampliação da assistência às cirurgias eletivas e outras intervenções de menor complexidade

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 em Volta Redonda, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está reorganizando os centros de atendimento a pacientes infectados pelo novo coronavírus. O Hospital Municipal Dr. Munir Rafful (HMMR) – Hospital do Retiro –, referência no atendimento à doença no município, iniciou a reorganização dos leitos. Eles foram remanejados para a clínica médica e UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para atendimento a outros pacientes. A mudança proporciona a otimização de recursos e ampliação da assistência às cirurgias eletivas e outras intervenções de média e baixa complexidade.

Os leitos, que inicialmente estavam todos sendo usados para pacientes com Covid, por exemplo, já estão sendo ocupados por pessoas que passaram por cirurgias eletivas. A disposição dos leitos poderá ser revertida, caso seja necessário.

De acordo com a diretora-geral do Hospital do Retiro, Márcia Cury, dos leitos dedicados à Covid, cinco continuam em atendimento para doença. Outros 29 foram remanejados para o setor de clínica médica geral e cirúrgica, devido à volta das cirurgias eletivas na rede pública.

A diretora explicou que nos últimos dois meses a taxa de ocupação de leitos por Covid se estabilizou. Atualmente, dos cinco leitos isolados para a doença, apenas dois pacientes estão ocupando a ala. Márcia Cury afirmou que a queda da ocupação hospitalar é reflexo do avanço da vacinação.

“Com a adesão da vacinação pela população, percebemos a queda do número de internados pela doença, a ocupação dos leitos por Covid segue estável. Entretanto, estamos aqui para atender os moradores e as medidas que tomamos de readequação de leitos podem ser revertidas, caso haja necessidade. Atualmente, estamos nos dedicando aos atendimentos de cirurgias eletivas e outros atendimentos de pequena e média complexidade. Os atendimentos de alta complexidade estão sendo feitos no Hospital São João Batista (HSJB)”, esclareceu a diretora.

A Vigilância em Saúde de Volta Redonda nesta semana informou que do total de 1.993 internações por Covid na rede pública (SUS) e privada neste ano (2021), 82,2% foram de pessoas não vacinadas. Entre julho e setembro de 2021, quando mais de 90% da população de Volta Redonda já tinha pelo menos uma dose aplicada, 37% das pessoas internadas não tinham recebido nenhuma dose de vacina.

Volta Redonda alcançou mais de 100% da meta inicial da cobertura vacinal de primeira dose e 70% de segunda dose ou dose única, além disso, mais de três mil doses de reforço já foram aplicadas em pessoas acima de 60 anos, profissionais de saúde e imunossuprimidos graves, conforme as determinações do Ministério da Saúde. O município foi um dos primeiros a atingir o público-alvo de 12 anos, idade mínima vacinável no Brasil e segue em repescagem as pessoas acima dessa faixa etária, caso ainda não tenham se vacinado por algum motivo.

Atendimento Covid aos fins de semana
As unidades de Pronto Atendimento continuarão com o serviço de acolhimento 24 horas – aos sábados, domingos e feriados, aos casos suspeitos e confirmados da Covid-19 nos seguintes locais: Hospital São João Batista (HSJB), Hospital do Retiro (HMMR), Hospital Dr. Nelson Gonçalves (antigo Cais Aterrado), UPA Santo Agostinho e o Serviço de Pronto Atendimento (Cais Conforto).

Todas as 46 Unidades de Saúde (UBS e UBSF) da Atenção Básica continuam disponíveis para acolhimento de pacientes Covid durante a semana, de segunda a sexta-feira, de 8h às 16h.

Unidades que funcionam com horário estendido durante a semana: 249, São João, Vila Mury e Volta Grande, de 07h às 22h. Em todas essas unidades são oferecidos, gratuitamente, exames para diagnóstico da Covid-19. São feitos testes de RT-PCR (swab) e antígeno.

Os atendimentos Covid foram redirecionados nos finais de semana em decorrência da queda de 90% dos atendimentos no mês de setembro nas unidades de saúde.

 

Foto: Geraldo Gonçalves- Secom/PMVR