Grupo formado por representantes de secretarias municipais tem como meta a criação do Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional

A Prefeitura de Volta Redonda recebeu na tarde desta terça-feira, dia 28, a superintendente de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Luiza Trabuco, que é secretária executiva da Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional (CAISAN) do Estado do Rio de Janeiro. A reunião, no auditório da prefeitura, teve como objetivo a reestruturação da CAISAN Municipal.

Participaram do encontro, representantes das secretarias municipais de Ação Comunitária (SMAC), de Esporte e Lazer (Smel), de Saúde (SMS), de Cultura (SMC) e de Meio Ambiente (SMMA), que compõem o CAISAN Municipal. Além deles, estavam membros do Comsea (Conselho Municipal de Segurança Alimentar) que conheceram o Mapeamento Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Mapasan RJ), apresentado por representantes da CAISAN Estadual.

A diretora do Departamento de Proteção Básica Social da SMAC, Rosane Marques, a Branca, afirmou que a CAISAN é a responsável por desenvolver e implementar políticas públicas que garantam a segurança alimentar e nutricional da população. “Esse é um momento de reorganizarmos a segurança alimentar e implementarmos novos projetos, principalmente, com foco na primeira infância. É preciso também, elaborar o Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, para nortear as ações em Volta Redonda. É um momento de muito trabalho, mas agradeço ao governo municipal, por investir na reconstrução da segurança alimentar no município, para que possamos atender melhor às famílias”, disse Branca.

Luiza Trabuco lembrou que Volta Redonda é um dos oito municípios do Estado do Rio de Janeiro que aderiram ao SISAN. “Este sistema está para a segurança alimentar como o SUS está para saúde ou como o SUAS está para a assistência social. É através dele que vamos garantir o direito à alimentação saudável e de qualidade, o desenvolvimento de práticas alimentares promotoras de saúde, estruturando o trabalho em rede”, afirmou a superintendente de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

A coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria Municipal de Ação Comunitária, Cristiane Seabra de Marco, citou algumas ações que fazem de Volta Redonda referência em segurança alimentar no estado. “Temos o Banco de Alimentos, que desde o início do ano já distribuiu mais de 100 toneladas de alimentos de qualidade para a população; e o Restaurante Popular, com mais de 90% de aprovação em pesquisa de opinião”.

O secretário municipal de Ação Comunitária, Munir Francisco, afirmou que a segurança alimentar é uma das prioridades na reestruturação da assistência social iniciada no início de 2021 quando reassumiu a pasta após quatro anos. “Encontramos os CRAS fechados e muitos programas desativados. Em relação à segurança alimentar, vamos reestruturar outros programas como o Pomar Popular, que prevê plantio de frutas em áreas públicas da cidade; e o Nascer Feliz, com assistência nutricional desde a gestante, ao bebê e toda família”, falou.

 

Foto: Divulgação/PMVR