Lei de autoria do Poder Executivo, aprovada por unanimidade pelos vereadores, regulamenta instalação de antenas de conexões ultrarrápidas

Uma nova revolução e que promete grandes mudanças no nosso dia a dia: é assim o 5G, tecnologia de conexões ultrarrápidas de internet que está prestes a chegar ao país. A rede da quinta geração de telefonia móvel ainda não está disponível no Brasil, mas a cidade de Volta Redonda já se prepara para implantá-la, quando isso for possível. O primeiro passo foi dado no mês passado, com a aprovação da lei que regulamenta a instalação das antenas 5G no município - uma orientação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) às cidades.

Volta Redonda foi o segundo município no estado do Rio de Janeiro a aprovar a lei do 5G, ficando à frente até mesmo da capital. A lei, de autoria do Poder Executivo e aprovada por unanimidade pelos parlamentares, dispõe sobre as normas para a implantação e compartilhamento da infraestrutura de telecomunicações. Elas serão como modems de internet, pequenos, e instaladas sobre os prédios. No leilão do 5G são as operadoras de telefonia que vão disputar o direito de explorar as faixas de frequência de internet móvel de quinta geração. A previsão é que o pregão ocorra em outubro.

O 5G é um sistema parecido com o 4G - usado atualmente com os aplicativos de mensagens instantâneas, mas com uma velocidade muito maior. Entre os ganhos que a nova rede pode trazer estão: cirurgias médicas poderão ser feitas a distância; carros serão dirigidos sozinhos (autônomos), causando menos acidentes, melhorando a mobilidade urbana; e a realidade virtual, vista muitas vezes em filmes, finalmente será uma realidade.

“O 5G, sem dúvidas, é uma de nossas prioridades. Queremos que Volta Redonda seja uma cidade inteligente, moderna, referência, como sempre foi. A pandemia da Covid-19 acentuou a realidade de que, independente de idade, os serviços de conectividade são essenciais à vida da população. Não tenho dúvidas de que esta nova tecnologia vai trazer benefícios a todos no setor da saúde, comércio, no trânsito, além do setor produtivo. Ter ou não o 5G será motivo para as empresas escolherem estar nas cidades e nisso estamos nos adiantando. Com certeza é um gol de placa”, destacou o prefeito Antonio Francisco Neto, agradecendo o apoio dos vereadores.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET), Sérgio Sodré, que está à frente do projeto 5G em Volta Redonda, destacou que esta tecnologia é 20 vezes mais rápida do que a atual, além de ter uma cobertura mais ampla e conexões mais estáveis. Ele frisou que este é o caminho para preparar Volta Redonda para o futuro das inovações tecnológicas.

“A primeira geração de telefonia móvel, o 1G, surgiu com o celular, nos anos 70, os populares ‘tijolões’. No 2G foi possível enviar mensagens de textos, os SMS. Com o 3G o telefone virou um minicomputador. Já com o 4G é possível pedir carro por aplicativo, ver a localização dele em tempo real e realizar chamadas de vídeo, por exemplo. Com o 5G é como se alargássemos uma estrada onde será possível passar mais carros e de forma mais rápida. Quanto menor o comprimento de onda, maior a frequência e mais informação você propaga”, explicou o secretário, completando: “Da mesma maneira que surgiram Uber, Waze, WhatsApp, Spotify e Netflix, quando o 3G e 4G foram desenvolvidos, novos aplicativos vão surgir para aproveitar totalmente essa tecnologia”.

Latência
Além de internet rápida, outra característica do 5G é a latência - tempo que a mensagem leva para chegar até o destinatário, o que chamamos de delay. Hoje, no 4G, em média, este atraso é de 50 milésimos de segundo, enquanto no 5G é de um milésimo de segundo. Na prática, isso é o que vai definir se um carro autônomo irá atingir ou não um obstáculo na rua. É o que acontece com os jogos online hoje em dia; latência baixa é sinônimo de resposta rápida.

Produtividade em alta
Além das facilidades no dia a dia, o 5G promete recursos para o ganho na produtividade para a indústria. Na logística, sistemas inteligentes escolherão a melhor rota com base no clima e trânsito. Os veículos autônomos serão menos suscetíveis a acidentes, entre outras possibilidades, é o que aponta o subsecretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fernando Lee.

“As linhas de produção serão otimizadas, com melhor aproveitamento de tempo e sem desperdício de insumos; tudo o que acontece na fábrica será atualizado em tempo real, podendo ser acessado de forma remota. Equipes do desenvolvimento de novos produtos poderão inovar, projetar e testar protótipos através da realidade virtual”, pontuou.

Fortalecimento da infraestrutura
Pensando em garantir uma melhoria da infraestrutura de telecomunicações, o prefeito Neto enviou um ofício ao presidente da Anatel, Leonardo Euler, para contemplar alguns bairros da cidade que apresentam baixa qualidade de conectividade, são eles: Açude, Água Limpa, Candelária, Fazendinha, Minerlândia, Padre Josimo, Roma, Santa Cruz II, Santa Rita de Cássia e do Zarur, São Cristóvão, São Geraldo, São Lucas, São Sebastião, Vila Brasília, Jardim Esperança, Casa de Pedra e Siderópolis.

No documento, o chefe do Executivo destaca que atualmente esses locais possuem concentração populacional significativa, mas ainda estão desprovidos de uma boa cobertura de conectividade móvel.