Profissionais da Secretaria de Saúde também garantem assistência médica aos detentos da Cadeia Pública Franz de Castro

Garantir a prevenção e o cuidado com a saúde dos detentos é o principal objetivo da Equipe de Atenção Primária Prisional (EAPP) da Secretaria de Saúde de Volta Redonda, que atua na Cadeia Pública Franz de Castro Holzwarth, no bairro Roma I. O grupo multiprofissional realiza ações de Educação em Saúde como a oficina de agentes promotores de saúde entre os apenados, para formação de multiplicadores entre eles, e rodas de conversa com familiares sobre prevenção de doenças.

A responsável pela equipe, a enfermeira da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Jussara Moreira de Oliveira, citou o ciclo temático sobre a prevenção à tuberculose. “Tema de grande relevância nessa população”, disse, lembrando que a Covid-19, a atenção aos sintomas, o direito à vacinação, também são discutidos.

Formada por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, fisioterapeuta, assistente social, psicólogo, dentista e auxiliar de Saúde Bucal, a equipe foi montada de acordo com a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Âmbito do SUS (PNAISP).

A secretária de Saúde de Volta Redonda, Maria da Conceição de Souza Rocha, afirmou que os profissionais garantem à população privada de liberdade todos os serviços ofertados em qualquer unidade da Atenção Primária no município. “Acolhimento, consultas médicas e de enfermagem; exames, aplicação de vacinas, administração de medicamentos e curativos estão entre as atividades da equipe”.

A unidade da Atenção Primária à Saúde, que funciona na Cadeia Pública, atua de segunda a sexta e atende à demanda, seguindo todos os protocolos de segurança e respeitando as normas e rotinas do local.

De acordo com o diretor da Cadeia Pública Franz de Castro, Oswaldo Fernandes de Oliveira, que assumiu a unidade em julho deste ano, a equipe da Secretaria Municipal de Saúde veio para garantir um dos direitos do apenado previsto em lei, que ainda inclui alimentação, assistência religiosa e outros.

“Hoje, temos na unidade assistência social, sala de fisioterapia equipada, enfermaria com profissionais capacitados. Também implantei uma regra que prevê que nenhum preso seja transferido sem, pelo menos, a primeira dose da vacina contra Covid-19 aplicada, já que a cadeia em Volta Redonda é porta de entrada no sistema, e tenho apoio da prefeitura para que isso aconteça. O próximo passo é montar uma sala só para vacinação, dentro das especificações estabelecidas pela Divisão de Vigilância Epidemiológica da SMS”, contou.

Oliveira acrescentou que o estado garante toda estrutura física para a atuação da equipe de profissionais de saúde da prefeitura e que essa parceria resultou em melhoria no atendimento de saúde dos apenados e que o serviço de prevenção que realizam também é importante entre a população carcerária.

“Além de serem profissionais capacitados, eles atuam com o princípio da humanização. São muito atenciosos com todos”, destacou o diretor, lembrando que o número de detentos da unidade fica em torno de 250 pessoas.

 

Foto: Divulgação/PMVR