Ideia é facilitar o trabalho da coleta seletiva realizada na cidade, não prejudicando o reaproveitamento de materiais recicláveis

Buscando garantir a destinação correta e otimizar o trabalho das cooperativas que atuam na cidade, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) de Volta Redonda está orientando a população como separar o lixo doméstico. A ideia é facilitar o trabalho da coleta seletiva realizada na cidade, não prejudicando o reaproveitamento de materiais recicláveis.

A assessora técnica da SMMA e coordenadora do programa de coleta seletiva de Volta Redonda, Gizely Gomes, explicou que os resíduos domésticos são divididos em três categorias principais: orgânico, reciclável e rejeito; sendo que cada um tem um caminho e um reaproveitamento diferente.

“Materiais recicláveis são os que podem ser transformados em matéria-prima para utilização em um novo processo. São eles: plásticos, papel, vidro e metal, por exemplo. A orientação à população é sempre separar os resíduos secos dos molhados. Se possível, passar água para que os resíduos não fiquem grudados nas embalagens. A separação é muito importante para não haver perda de materiais”, afirmou Gizely.

A coordenadora frisou que as cooperativas não coletam resíduos orgânicos e que esses materiais devem ser encaminhados a processos de compostagem.

“Nossa orientação é que nunca se deve misturar material reciclável com orgânico (restos de frutas, legumes ou verduras, cascas de ovos, restos de plantas e até de comidas, inclusive sacos de chá e borra de café com filtro), já que as cooperativas não fazem a coleta desse material. O rejeito é aquela parte do lixo doméstico que realmente não pode mais ser aproveitada ou transformada, como papel higiênico, fralda, absorvente feminino, fio dental, cotonete, seringa, papeis com óleos ou molhos, chiclete, algodão e fita adesiva. Esse é o único tipo de material que deve ser encaminhado para os aterros”, orientou.

Coleta seletiva
O serviço de coleta seletiva é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 14h20 e de 15h30 às 22h50. Os bairros foram separados em setores e três cooperativas se dividem no recolhimento, porta a porta, do material reciclável. O recomendado é que a população coloque o material para fora de casa no início de cada turno, já que não há horários fixos para que os caminhões passem. Não há necessidade de dispensar o material reciclável em embalagens especiais. Os catadores fazem a identificação visual no momento da coleta. O importante é que o material descartado esteja seco.