Projeto Revi-Ver realizou esta semana cerca de 300 cirurgias; meta nesta primeira fase é realizar 600 operações

Depois de realizar cerca de 300 cirurgias de catarata entre segunda e sexta-feira, o programa Revi-VER, da Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), tem continuidade neste sábado, dia 10. Desde o início da manhã de hoje, várias pessoas estão na Ilha São para receber o atendimento. Os pacientes passam por revisão das operações e outros foram chamados para se prepararem para os procedimentos para a cirurgias, que serão realizadas ao longo da próxima semana.

As operações e os atendimentos acontecem sob o pavilhão de eventos da Ilha São João, onde está estacionado um veículo adaptado que funciona como um centro cirúrgico oftalmológico móvel. No caminhão ocorrem os atendimentos, incluindo os exames pré-operatórios. O objetivo do projeto é zerar a fila de espera de pacientes que aguardam pela intervenção oftalmológica há anos.

Nesta primeira fase do projeto, a meta é realizar 600 cirurgias. Ao todo, a previsão é que 4,5 mil procedimentos sejam feitos até o final do projeto. O diferencial da iniciativa do governo municipal é que além da cirurgia, os pacientes fazem exames pré-operatórios e são acompanhados após a intervenção cirúrgica.

“O projeto Revi-VER vai acompanhar todos os pacientes na recuperação da visão. Esse programa também contribuirá para reorganizar a rede municipal. É um passo para conseguir atender a outras demandas cirúrgicas que estão com fila. As cirurgias de catarata é a nossa maior emergência, pois as pessoas que estavam na fila de espera corriam risco de perder completamente a visão”, afirmou a secretária municipal de Saúde, Maria da Conceição de Souza Rocha.

O prefeito Antonio Francisco Neto disse a intenção é zerar a fila de espera para a cirurgia de catarata. "Depois de muitos anos que não se operava ninguém de catarata, nós voltamos a fazer a cirurgia e queremos zerar esta fila de espera. Quero agradecer a todos que estão sendo incansáveis para prestar o melhor atendimento à população e farão com que estas pessoas voltem a enxergar. A equipe está trabalhando todos os dias, inclusive neste sábado", disse o prefeito.

Neto ainda lembrou que o programa recebeu a visita de técnicos do Cremerj esta semana para fiscalizar o projeto. "Houve uma denúncia sobre o serviço e eles viram que tudo que está sendo feito aqui é de primeira qualidade. Nós temos um controle de tudo e a nossa situação é muito boa", garantiu o prefeito.

O prefeito ainda esclareceu que o valor pago pelo município para a empresa contratada para cada cirurgia, que fornece ainda o colírio para ajudar na cicatrização da cirurgia e o óculos, que é um tampão pós cirúrgico, tem um custo de R$ 829,00. "Uma cirurgia desta hoje no particular custa, em média, R$ 5 mil e estamos pagando um valor bem abaixo e justo. Isso é um gol de placa na saúde de Volta Redonda", comemora o prefeito.

 

Foto: Divulgação/PMVR