Município atinge percentuais acima da média para primeiras e segundas doses aplicadas

Volta Redonda é o município com a maior cobertura vacinal da Covid-19 entre as maiores cidades do Estado do Rio de Janeiro, incluindo a capital, segundo dados do Ministério da Saúde. A taxa de cobertura da imunização de primeiras doses aplicadas em Volta Redonda é de 28,5%, sendo a maior entre as maiores cidades fluminenses. Já a cobertura de segundas doses aplicadas é de 12,6%, sendo também uma das melhores taxas do Estado do Rio.

A Prefeitura de Volta Redonda já aplicou 119.856 doses, sendo 83.487 primeiras doses e 36.369 segundas doses. O balanço é da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informado em dados oficiais ao Ministério da Saúde. Todo processo é oriundo das doses enviadas à cidade, através do Plano Nacional de Imunização (PNI).

A estratégia de vacinação adotada pela SMS garante a democratização do acesso à população na campanha de vacinação contra a Covid-19. Assim, a Prefeitura tem garantido um avanço significativo dentro do que é possível diante da escassez de vacina.

Além da disponibilização das doses nas Unidades de Saúde (UBS e UBSF) dos bairros, facilitando o deslocamento do morador para a vacinação em locais próximos, a Secretaria implementou a modalidade de drive-thru na Ilha São João, ampliando a campanha. Diante das duas estratégias de vacinação foi possível obter bons dados no ranking estadual.

Mesmo diante das estratégias adotadas, as equipes da Secretaria continuam na busca ativa dos cadastros de moradores para as segundas doses quando não há registro da conclusão do ciclo de imunização para as duas doses.

Além disso, nesta semana a cidade atingiu a marca de mil idosos acamados acima de 60 anos que já completaram o ciclo de imunização da Covid-19. Dentro deste grupo, outros 200 vacinados com a primeira dose da AstraZeneca (Oxford) aguardam apenas o prazo estipulado pela Rede de Saúde para completar a imunização. O atendimento a pacientes acamados para Covid-19 acontece aos sábados em Volta Redonda.

Os resultados obtidos na vacinação local também se devem a uma mudança na técnica de aplicação, que gerou melhor rendimento do conteúdo de cada frasco em Volta Redonda. O setor de enfermagem decidiu passar a utilizar, para a aplicação das vacinas, seringas de 1 ml (usadas também para aplicação de insulina), que garantem maior exatidão na dose aplicada. O Ministério da Saúde fornece um tipo diferente, com capacidade para 3 ml.

Mais 1.140 doses da vacina AstraZeneca

O município recebeu na tarde de quinta-feira (27) 1.140 doses da vacina AstraZeneca (Oxford) para aplicação de primeiras doses na imunização contra a Covid-19. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), as doses vão ajudar a repor os estoques nas Unidades de Saúde para a vacinação das pessoas com comorbidades acima de 40 anos.

Lembrando que Volta Redonda também está vacinando pessoas de 18 a 59 para comorbidades específicas.

A previsão, ainda de acordo com a Secretaria, é que com a chegada de mais doses, a faixa etária de pessoas com comorbidades possa cair. Desde o início da campanha de vacinação, por determinação do Ministério da Saúde, Estados e municípios seguem a ordem decrescente de idade, sendo que há grupos prioritários para a vacinação.

Nova remessa de vacina da Pfizer

Volta Redonda vai receber uma nova remessa da vacina Pfizer (Biontech) de 1.170 doses. A previsão da chegada do estoque é para essa segunda-feira, dia 31, e será destinado, como da primeira remessa, na priorização da imunização de gestantes e puérperas com comorbidades, além das pessoas com comorbidades e deficiência permanente. A orientação é do Governo do Estado.
As vacinas da Pfizer têm o estoque limitado e precisam ser armazenadas a 2º C a 8º C devendo ser utilizadas, no máximo em cinco dias após a abertura dos frascos.

Calendário unificado de vacinação do Governo do Estado

Nesta semana, o Governo do Estado do Rio de Janeiro divulgou um calendário unificado de vacinação para os 92 municípios. De acordo com a previsão do referido calendário, até o final de junho a expectativa é que pessoas de 59 a 55 anos sem comorbidades comecem a ser vacinadas. Entretanto, a Prefeitura de Volta Redonda esclarece que o cumprimento deste calendário está totalmente atrelado à entrega de novas doses ao município.

Foto: Geraldo Gonçalves- Secom/PMVR