A Fundação Beatriz Gama (FBG), através do Serviço de Acolhimento Institucional, tem realizado ações a partir de oficinas temáticas com as crianças e adolescentes para conscientizar e alertar a população sobre a importância da denúncia e prevenção ao abuso sexual infantil. O tema é lembrado nesta terça-feira, dia 18, no Dia Nacional Combate ao Abuso e à Exploração de Crianças e Adolescentes.

O diretor-presidente da FBG, Vitor Hugo Gonçalves de Oliveira, lembrou que todas as formas de violência infantil podem ser prevenidas e destacou a importância do trabalho de conscientização neste combate.

“Diariamente nossas equipes buscam estratégias de enfrentamento a essas ocorrências, mas assim como a violência contra a mulher, o abuso infantil ocorre muitas vezes dentro de casa; então as pessoas não têm como saber. Também há um tabu: o abusador pode ser o provedor da casa, quem sustenta a família, e acaba havendo uma omissão por medo, mas que acaba causando um mal maior para àquela criança ou adolescente”, disse Vitor Hugo, ressaltando que as campanhas tem como objetivo criar empatia e conscientizar as pessoas a agirem de forma solidária com as vítimas.

A Fundação Beatriz Gama acolhe crianças e adolescentes de zero a 18 anos (incompletos), em situação de vulnerabilidade social; vítimas de maus tratos, abandono, abuso sexual ou qualquer outra que coloque em risco a sua integridade física, moral ou psicológica, tendo seus atendimentos regulamentados pelo ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

O acolhimento é feito a partir do encaminhamento do Juizado da Infância e Juventude e do Idoso e Conselho Tutelar.

Rede de apoio


Em Volta Redonda, além da FBG, a Secretaria Municipal de Ação Comunitária (SMAC), por meio do Departamento de Proteção Social Especial (DPES) e em parceria com o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) é responsável pelo acompanhamento das situações de violação de direitos, com o trabalho do PAEFI – Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos.

A SMAC é a pasta responsável por coordenar a assistência a essas vítimas de violência física, psicológica e negligência; violência sexual - abuso e/ou exploração sexual, entre outras situações de vulnerabilidade. O CREAS, a partir do acompanhamento técnico, realiza articulação e encaminhamento das demandas para os demais atores da rede socioassistencial, Conselhos Tutelares e Órgãos do Sistema de Garantia de Direitos.
O DPES funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Rua Antonio Barreiros, nº 222 – Bairro Nossa Senhora das Graças. Tel.: 3339-9143/3347-2390.

Denúncias


As denúncias de crimes sexuais contra crianças e adolescentes podem ser feitas através do Disque 100, Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos- (61) 9656-5008 ou pelos telefones do Conselho Tutelar de Volta Redonda (24) 99938-1589 (Conselho Tutelar I) ou (24) 99963-0010 (Conselho Tutelar II).

 

Foto: Divulgação- Secom/PMVR