Até o final de maio, mais seis unidades voltam a funcionar no município; já são 14 em atividade e ainda em 2021 todas as 35 retomam atendimento à população

Os moradores do Santo Agostinho e bairros vizinhos voltaram a contar com os serviços do Cras (Centro de Referência à Assistência Social) Irmã Maria Luísa Sanches Lecaros. A unidade, que fica na Rua Itamaracá, nº 79, é a 14ª a retomar o atendimento à população desde janeiro 2021. O centro social, que estava fechado, recebeu obras de revitalização nos dois andares da unidades. Os serviços realizados, em 15 dias, foram de pintura, limpeza de pisos, troca das janelas e portas e jardinagem. A cerimônia de reabertura foi realizada na manhã desta quinta-feira, dia 29, e contou com a presença do secretário municipal de Ação Comunitária, Munir Francisco, equipe da Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac), vereadores e secretários municipais.

O Cras Santo Agostinho, que também atende moradores dos bairros Ilha parque, Parque das Ilhas, Volta Grande I, II, III e IV, beneficia até cinco mil famílias e conta com equipe formada por coordenador, assistente social, psicólogo, administrativo, entrevistador e facilitadores de oficinas para atender à população. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Os CRAS oferecem serviços como acompanhamento familiar; o serviço de convivência e fortalecimento de vínculos; cadastro para o Cadastro Único (CadÚnico) para participação dos programas do Governo Federal; concessão de benefícios eventuais, através de avaliação técnica, como cesta básica, auxílio funeral e aluguel social e oficinas de inclusão produtiva e de geração de renda.

De acordo com o secretário municipal de Ação Comunitária, Munir Francisco, ao assumir a Smac em janeiro de 2021, ele encontrou toda a rede de assistência social desestruturada. “Foi uma surpresa desagradável, pois a rede estava acabada. Quando saímos em dezembro de 2016, nós éramos referência na assistência social não só no Estado do Rio, mas em todo o país. Tínhamos 35 CRAS, quatro centros de multi-atendimento, um Centro de Inclusão Produtiva, três centros dias em funcionamento. E, tínhamos o abrigo municipal e Centro de Atendimento à População de Rua, e, quando voltamos, infelizmente, tudo estava fechado. Não tinha nenhum Cras aberto. No máximo era um Cras com uma pessoa dentro com a porta trancada”, detalhou Munir.

Munir ainda lembra que, em 2016, os CRAS do Jardim Cidade do Aço e Jardim Ponte Alta estavam em construção. “Vamos retomar as obras destes dois CRAS e vamos inaugurar em breve. Já reabrimos agora 14 Cras, inclusive semana passada, entregamos as reformas do Cras da Vila Americana. Desenvolvemos este trabalho com apoio irrestrito do prefeito Neto, apoio da Câmara Municipal, um trabalho de excelência da equipe da Smac e temos a confiança da população de Volta Redonda. Assim conseguimos fazer este trabalho. Vamos reabrir, ainda este ano, todos os 35 centos sociais”, garantiu Munir.

A diretora do Departamento de Proteção Básica, Rosana Marques, a Branca, lembrou que, além da reforma na parte física das unidades, toda equipe foi reestruturada para oferecer os serviços aos moradores. “Quero imensamente agradecer esta equipe que trabalhará aqui e a minha equipe que está direto comigo”, disse, frisando ainda que com a reabertura, o CRAS volta a oferecer vários serviços para a comunidade. “Além de todos os atendimentos do CRAS, abriremos oficinas de Inclusão Produtiva como a de culinária, artesanato com material reciclado e o telecentro, que oferece aulas de informática e está disponível para uso pela comunidade. Os serviços de convivência estão em planejamento e retornarão nos próximos dias”, explicou Rosane Marques, frisando que o Cras está respeitando todas as medidas de proteção à Covid-19.

O presidente da Associação de Moradores do Santo Agostinho, Divino dos Santos, lembrou que, no início do ano, o secretário havia se comprometido em reabrir o CRAS. “Ele começou a obra no mesmo mês e hoje nos entrega este CRAS completamente recuperado. Não foi promessa, é serviço realizado. Agradeço ao Munir por atender a nossa comunidade”, disse Divino.

A jovem Buana Roama, 21 anos, que estava na inauguração, disse que procurou o CRAS para obter informações sobre o Bolsa Família. “Estou grávida e vim saber como funciona o cadastramento. Vou precisar de ajuda para criar meu filho. E agora, estou mais tranqüila, pois o CRAS foi reaberto”, disse ela. Já a dona de casa, Josiane Cristina Soledad, 46 anos, moradora do bairro, disse que o fechamento do CRAS desprotegeu toda a comunidade. “Venho aqui pedir ajuda e orientações. Me interesso por artesanato e vou me matricular na oficina”, disse ela, que é beneficiária do Bolsa Família.

A idosa Hilda Maria de Oliveira, 72 anos, lembrou que fazia parte do grupo de convivência atendido no CRAS e aguarda a retomadas das reuniões. “Era muito bom. O nosso grupo era muito animado e quero que ele volte. Aprendemos muito com as amizades feitas aqui”, afirma. A dona de casa, Irani Andrade, 60 anos, já usufruiu de cursos e atendimentos do CRAS. “Sempre fui atendida aqui no CRAS com orientações do Bolsa Família e ajuda com alimentos. Fico feliz em saber que teremos cursos de artesanato e culinária. Vou participar”, afirmou.

A cerimônia contou ainda com a presença dos vereadores Temponi e Rodrigo Furtado, presidentes da associação de moradores do Volta Grande I e III, Maria Mercês de Freitas e Elza Santos, do Volta Grande II, Júlio Gil, da Vila Americana e Irmã Bia Leal e a madre integrante da Congregação do Colégio Nossa Senhora do Rosário, Escravas do Divino Coração, ao qual a homenageada com o nome do CRAS fazia parte. “Este Cras representa mais do que um trabalho. É um serviço, onde os funcionários daqui vão se doar, se entregar. Que seja um obra de Deus que acolha a todos que dela vão necessitar”, deseja a madre.

Mais inaugurações - A programação de reabertura dos Cras segue pelos bairros Açude, em 06 de maio; e Belo Horizonte, no dia 13 de maio; sempre quinta-feira, às 9h. O Centro de Artes e Esportes Unificados – Praça CEU, no Vila Rica/Tiradentes, que conta com uma unidade de CRAS, que vai oferecer serviços sociais, e o Telecentro, instrumento de inclusão digital, será reaberto no dia 15 de maio, sábado, às 10h. As reinaugurações dos CRAS seguem com a unidade do bairro Caieiras, no dia 17 de maio, segunda-feira; Verde Vale no dia 20 e São Luiz no dia 27; sempre às 9h.

Em funcionamento - Já oferecem atendimento à população as unidades de Cras dos bairros Retiro, Siderlândia, Vila Brasília, Voldac, Dom Bosco, São Sebastião, Água Limpa, Três Poços, Monte Castelo, Roma II, Rústico, São Carlos e Vila Americana.

Foto: Geraldo Gonçalves- Secom/PMVR