LIRAa de março apresentou queda nos índices de infestação pelo Aedes aegypti em toda cidade em relação aos números de janeiro

As vistorias domiciliares com orientação aos moradores em relação aos cuidados nas residências para evitar a proliferação do Aedes aegypti, além da limpeza e retirada de entulhos das vias, realizadas pela Prefeitura de Volta Redonda tiveram resultado positivo. O município apresentou queda no índice de infestação do mosquito em todas as 12 regiões avaliadas pelo LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti) realizado na última semana de março em relação aos números de janeiro.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Janaína Soledad, Volta Redonda apresentou índice de 2,3% de infestação do Aedes aegypti contra os 3,4% encontrados em janeiro. “Este número coloca o município como área de médio risco para as doenças transmitidas pelo mosquito – dengue, zika e chikungunya”, disse.

Ela ressaltou que, pelo LIRAa de março, Volta Redonda não registrou alto índice de infestação em nenhuma região. “Destaco os bairros Água Limpa, Caieiras, Cailândia, Nova Primavera, Brasilândia, Parque do Contorno, Três Poços, Vila Rica e Pedreira que reduziram em mais de 50% o número de criadouros do mosquito encontrados pelos agentes de endemia”, falou Janaína.

“Apesar do resultado positivo, o LIRAa ainda mostra que temos que estar em alerta e reforçar a prevenção do Aedes aegypti. Dengue, Zika e Chicungunya são doenças graves que não devem ficar esquecidas por conta da pandemia da Covid-19”, alertou.

O que é recorrente no resultado do LIRAa em Volta Redonda são os criadouros predominantes. Mais de 50% dos criadouros identificados são depósitos móveis, encontrados dentro de casa, em jardins e quintais domiciliares, como pratos de plantas e bebedouros de animais. Materiais como latas, sucatas e entulhos são responsáveis por quase 13% dos criadouros encontrados. Os pneus, as calhas, piscinas e ralos vem em seguida com quase 10% dos criadouros.

Vistoria semanal nas residências é eficaz no combate ao mosquito

A maneira mais eficaz de combater o Aedes aegypti é a vistoria semanal nas residências para quebrar o ciclo de vida do mosquito. O período quente e úmido, que intercala chuva com dias de altas temperaturas, faz o Aedes se reproduzir com maior intensidade. O tempo de eclosão dos ovos varia entre sete e dez dias, por isso, a eliminação de possíveis criadouros semanalmente interrompe o ciclo de vida do Aedes, impedindo que se tornem adultos transmissores da Dengue, Zika e Chicungunya.

Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia; limpe com escova ou bucha os potes de água para animais. Além disso, deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo; pneus cobertos; e não esqueça da limpeza em calhas, piscinas e ralos; plantas como as bromélias; e depósitos de água, que juntos ficaram responsáveis por 13% dos criadouros encontrados durante o LIRAa em Volta Redonda.

Foto: Divulgação