Em Volta Redonda, o Centro de Doenças Infecciosas (CDI) atende atualmente 105 pacientes gratuitamente

O dia 24 de março é lembrado como Dia Mundial de Combate à Tuberculose. Em Volta Redonda, os atendimentos são feitos no CDI (Centro de Doenças Infecciosas), após triagem realizada pelas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs). De acordo com Palôma Braga da Cunha Guimarães, coordenadora do Programa de Tuberculose do município, atualmente 105 pacientes estão em tratamento.

“O paciente deve procurar a unidade de saúde onde está cadastrado para que os profissionais façam o diagnóstico primário e se for confirmado o diagnóstico de tuberculose é encaminhado para o CDI, onde ele terá acesso à medicação e então dará início ao tratamento”, explicou Palôma, lembrando que em alguns casos, após alguns pacientes serem atendidos em hospitais, são encaminhados ao CDI.

Mais sobre a doença
A Tuberculose é causada por uma bactéria que atinge principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outras partes do corpo, como ossos, rins e outros. É transmitida de uma pessoa para outra pelo ar, por meio de tosse, espirro ou mesmo fala.

O sintoma mais frequente de Tuberculose pulmonar no adulto é a tosse com ou sem escarro por mais de três semanas. Outros sintomas são: febre - mais frequente ao anoitecer, suores noturnos, falta de apetite, emagrecimento e cansaço fácil.

“A melhor forma de evitar a transmissão da Tuberculose é descobrir a detecção precoce e fazer o tratamento correto, assim como rastrear os contatos intradomiciliares do paciente”, explicou Palôma, lembrando que para evitar a transmissão é orientado ao doente cobrir a boca e o nariz quando tossir ou espirrar, como também manter a casa bem ventilada, permitindo entrada de ar e sol, mas não há problema em compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres.

Tratamento especializado gratuito

O acompanhamento em consultas e os medicamentos são distribuídos pela rede pública de saúde, sem custo ao paciente. A Tuberculose tem cura, desde que tratada precocemente, adequadamente e por um período mínimo de seis meses sem interrupção. O tratamento não deve ser abandonado, mesmo com o desaparecimento dos sintomas.

Serviço:
Em caso de dúvidas, procure a unidade de saúde mais próxima.
O CDI (Centro de Doenças Infecciosas) que funciona na rua Dionéia Faria, n° 329, Aterrado, de 7h às 17h (no antigo INSS).