A concorrência pública para implantação do VR Parking em Volta Redonda foi liberada pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, na tarde desta quarta-feira, dia 10. O edital havia sido submetido à analise do TCE que solicitou algumas reajustes técnicos. Após as alterações o município, além de garantir o aumento das vagas, também vai receber, ao longo de uma década, mais de R$50 milhões da empresa concessionária. Inicialmente a empresa vencedora terá que investir cerca de R$ 11 milhões na implantação do sistema que fomentará economia local.

 

O objetivo do VR Parking é organizar e democratizar o estacionamento público nas ruas. O modelo a ser implantado é inovador e Volta Redonda será a primeira cidade do estado a utilizar esse tipo de tecnologia nos estacionamentos. A expectativa é que o projeto ainda gere dezenas de empregos diretos, além das receitas para a cidade.

 

O projeto também irá facilitar a vida da população, já que os bilhetes para utilização poderão ser adquiridos em estabelecimentos cadastrados, havendo a  possibilidade de conseguir vagas através do celular, por meio de um aplicativo específico. Tudo de forma moderna, ágil e organizada.

 

“Procuramos trazer o que há de mais moderno para esse projeto. Com a utilização de aplicativos de celular, sensores de estacionamento e sinalização das vagas disponíveis. Será o fim das moedinhas em Volta Redonda”, explicou o presidente da EPD (Empresa de Processamento de Dados) e responsável pela implantação do VR Parking, Matheus Moreira Cruz.

 

Ao todo, serão disponibilizada cerca de 4 mil vagas, ampliando o serviço nos centros comerciais da cidade.

 

De acordo com o prefeito, o VR Parking é um importante projeto que vai mudar a forma de se estacionar na cidade. “Sabemos a dificuldade de estacionar na nossa cidade. Volta Redonda, por décadas, deixou de investir na modernização e na estrutura da mobilidade urbana de uma das mais importantes economias do Estado. O que estamos fazendo agora com o VR Parking é justamente organizar o estacionamento rotativo de uma forma tecnológica, com aplicativos, como é feito nas melhores cidades do mundo, também resolveremos a questão dos flanelinhas na cidade”, informou o prefeito.

 

Por Ana Maria Mansur - Secom/VR