O ‘Entulho Zero’ implantou placa educativa nos locais onde o problema é recorrente e prevê multa em caso de reincidência

 

A Prefeitura de Volta Redonda implantou, no início do mês de junho, o programa “Entulho Zero” para coibir o descarte irregular de resíduos de construção civil, móveis e até lixo em espaços públicos do município. Criado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (SMI), o projeto inclui ações de conscientização da população, com colocação de placa educativa; fiscalização por câmeras e ronda periódica nos locais onde o problema é recorrente; e aplicação de multa, prevista em lei, que pode chegar perto dos R$ 1 mil.

 

O secretário de Infraestrutura, Vinícius Ramos, explicou que o “Entulho Zero” vai gerar economia para os cofres públicos, já que a retirada dos resíduos descartados irregularmente é um trabalho diário que envolve equipe de funcionários e equipamentos como caminhão basculante e retroescavadeira. “Existem locais em Volta Redonda em que o problema é histórico. Espaços públicos de convivência, esquinas e até vias são utilizados como área de descarte”, falou.

 

Ele lembrou ainda que a prefeitura oferece serviço de fornecimento de caçamba para a população a preço quase quatro vezes mais baixo que o cobrado pelas empresas privadas que também ofertam o serviço. O cadastro para solicitar a caçamba pública deve ser feito às segundas-feiras, a partir das 8h, pelo site www.voltaredonda.rj.gov.br. “A taxa cobrada pela prefeitura fica em R$ 35,00 enquanto o preço do mercado começa em R$ 120,00”, informou o secretário.

 

Vinícius também contou que o “Entulho Zero” já alcançou sucesso em alguns locais que, historicamente, recebiam descarte de resíduos. A Rua 1021, no bairro Volta Grande, local em que a equipe da Secretaria de Infraestrutura fazia limpeza constante para retirar materiais depositados pela população, inaugurou o programa.

 

Na rua, foi construído um muro de contenção e instalado, ao longo da via, placas de advertência informando que o descarte inadequado é passível de multa e que a área está sendo monitorada. “Neste local, não observamos mais o problema. Assim como nas proximidades da Capela Mortuária, às margens do córrego, no Aterrado”, disse, lembrando que o “Entulho Zero” também foi já foi realizado nos bairros Vila Brasília, Belo Horizonte, Mariana Torres, Coqueiros e Belmonte.

 

Secom/VR