Local de fomento ao empreendedorismo cultural abre na quarta-feira, dia 20, no Mercado Popular do Retiro

 

Volta Redonda ganha nesta quarta-feira, dia 20, em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, o Espaço Cultural Afro Rua. O local de fomento ao empreendedorismo cultural fica no 2º Bloco do Mercado Popular do Retiro, na Avenida Waldir Sobreira Pires, na entrada do bairro Vila Brasília. A festa de inauguração começa às 8h com início dos graffitis nos quiosques. Às 9h terá apresentação do grupo de samba Bateria Show e às 10h o prefeito Samuca Silva entrega oficialmente o local para a população.

 

Samuca afirmou que a abertura da Afro Rua confirma o compromisso do Governo Municipal de investir na cultura e na economia da cidade. “A iniciativa, inédita na região, tem como objetivo ressaltar o potencial dos afroempreendedores, dando oportunidade para mostrarem e comercializarem seus trabalhos. Além disso, eles passam a atuar como agentes para o desenvolvimento econômico e cultural”, falou o prefeito.

 

O Espaço tem 11 quiosques e a ocupação foi feita por meio de edital de seleção, realizado entre 2017 e 2018, destinado a jovens negros com projetos de empreendedorismo cultural. A seleção dos projetos ficou a cargo de uma comissão especial de jurados, com representantes da Secretaria de Estado de Cultura, Fundação Palmares, Sebrae, Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e Conselho Municipal de Políticas Culturais.

 

Os candidatos apresentaram propostas de livrarias, moda, gastronomia e música, todas em diálogo com a cultura afro. Durante o período de seleção, os empreendedores receberam uma série de workshops de capacitação junto com o Sebrae, que é o grande parceiro neste projeto.

 

Segundo a secretária de Cultura, Aline Ribeiro, o Espaço Afro Rua tem potencial para se tornar referência em todo o Estado do Rio de Janeiro e, a longo prazo, pode se tornar um case nacional de afro empreendedorismo, economia criativa e política pública para ocupação de espaços.

 

“Os jovens aprovados têm a permissão de uso dos quiosques por quatro anos, um período eficiente para impulsionar o seu negócio e gerar renda. Ao mesmo tempo, o Espaço Afro Rua será uma opção de lazer e consumo de arte, um polo cultural descentralizado, ao alcance da periferia”, disse Aline. 

 

SEMANA DO POVO PRETO – Além da abertura do Espaço Afro Rua, no Retiro, a semana da consciência negra em Volta Redonda terá extensa programação cultural. O Memorial Zumbi dos Palmares, na Vila Santa Cecília, receberá a programação da 3ª Semana do Povo Preto.

 

Ainda na quarta-feira, dia 20, haverá a abertura da exposição “Orixá Itan” (Mitologia Africana), às 18h, com os trabalhos da artista Júlia Cídio, participante do edital de ocupação cultural do espaço. A exposição poderá ser visitada até dezembro no Memorial Zumbi, na Vila Santa Cecília.

 

A programação completa inclui:

 

21/11

14h às 21h – Exposição Orixá Itan, por Júlia Cídio

17h – Ensaio Aberto Cia Intervalo – A Cor do Sangue

18h – Apresentação Coletivo Flor de Maio Humanizar

 

22/11

14h às 21h - Exposição Orixá Itan, por Júlia Cídio

14h às 18h – Feira Troque Livros edição “Fogo nos Racistas” + Sarau

18h - palestra “A grande jornada da África até Volta Redonda” com o escritor Durval Arantes, natural de Volta Redonda e que reside em São Paulo desde 1984. Professor de inglês, pesquisador e fomentador das culturas de matriz africana, é também autor do livro "O último negro" e do livro "O enigma Ashanti".

 

23/11

14h às 21h - Exposição Orixá Itan, por Júlia Cídio

14h às 17h – Rede Feminina Preta de Moda Afro com participação de Fátima Negrann

17h as 21h30 – Roda Cultural de Rima de Volta Redonda

 

24/11

14h às 21h - Exposição Orixá Itan, por Júlia Cídio

14h às 20h – Festival de Curimba (encerramento) com:

Ogans Luz do Caminho – Vassouras, Tambores de Angola – Valença,União Espiritualista Mina Congo - Pilares, Curimbeiros de Xangô – Teresópolis, Tenda Espírita Vovó Cambinda e Tia Chica – Pinheiral, Curimbas Emoções e Fé - Rio de Janeiro, Tufec - Barra do Piraí, Centro Espírita Ogum Guerreiro – Pinheiral, Feuphar/Pai Congo de Aruanda - Volta Redonda.

 

Por Renata Borges – Secom/VR