Tratamento é disponibilizado de graça na rede publica de saúde

 

O último domingo do mês de janeiro é considerado pelo Ministério da Saúde o Dia Nacional de Combate à Hanseníase, uma das doenças de pele que acomete grande parcela da população. Em Volta Redonda, a prefeitura vem criando estratégias para aumentar a cobertura e a detecção precoce da doença.

 

“A população tem que saber que a Hanseníase tem tratamento e é de graça. O trabalho no Centro de Doenças Infecciosas (CDI), que faz o diagnóstico da hanseníase e oferece o tratamento, é realizado o ano inteiro”, lembrou o prefeito.

 

Através de uma parceria entre as secretarias municipais de Saúde e Esporte e Lazer, os usuários do Parque Aquático Municipal que estão realizando os exames clínicos para a emissão da carteira de piscina e que possuem alguma mancha característica de Hanseníase estão sendo encaminhados ao CDI. Com isso, a prefeitura de Volta Redonda pretende ampliar os locais de detecção da doença.

 

Em Volta Redonda, existem 12 pacientes em tratamento de Hanseníase. Desses casos, dez são do tipo multibacilar, que é a forma contagiosa da doença, sendo os outros dois sem qualquer risco de transmissão, tipo paucibacilar.

 

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, a detecção precoce da doença continua sendo o elemento individual mais importante na cura. “Assim é possível atuar na prevenção de deficiências e redução da transmissão. A melhor estratégia para combater a Hanseníase é a busca ativa de casos principalmente entre as pessoas que convivem com o doente. Todo cidadão também pode contribuir, buscando o serviço de saúde assim que perceba algum sinal suspeito”, disse o secretário.

 

No próximo dia 14, às 12h, na Praça Sávio Gama, no bairro Aterrado, haverá distribuição de folders e orientações sobre a Hanseníase para a população. O objetivo da campanha educativa é de orientar a população divulgando informações para a promoção da saúde e qualidade de vida.

 

Secom VR