Atualmente, não existe mais demanda reprimida no município que, só no mês de outubro, realizou 1764 procedimentos

 

A Prefeitura de Volta Redonda Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), confirmou que já estão zeradas as filas para exame de mamografia no município. Só no mês de outubro, foram realizados 1764 procedimentos e cerca de outras mil mamografias foram geradas e já agendadas.

 

Agora, segundo o secretário da pasta, Alfredo Peixoto, o agendamento está em ritmo normal para o exame. “Demos uma ênfase especial nesse atendimento, como parte da campanha do Outubro Rosa. Agora, a nossa demanda é de apenas 157 exames, que já estão sendo marcados para a próxima semana”, revela Alfredo, lembrando que do dia 1° a 17 de novembro foram inseridas cerca de 700 mamografias no Sisreg (Sistema de Regulação), do Ministério da Saúde, já agendadas.

 

O prefeito Samuca Silva lembra que, por conta de muitos anos com poucos exames sendo feitos, a cidade atingiu uma demanda reprimida para os atendimentos. “Até 2017 a fila de espera da mamografia tinha mais de oito mil pacientes. Com a modernização e reforma que fizemos no Centro de Imagem Gecy Vieira, hoje não existe mais filas. Quando assumimos a administração municipal o local funcionava de forma limitada, com um mamógrafo e um tomógrafo quebrados. Estamos adquirindo transdutor para compor o aparelho de ultrassonografia, o que irá aumentar a oferta de exames por mês, com o objetivo de zerar a fila”, disse o prefeito.

 

Samuca destaca ainda que, somente no ano passado, foram investidos R$ 230 milhões na saúde e lembra que o município foi reconhecido pela Federação Nacional dos Prefeitos como o terceiro que mais investiu em saúde no Sudeste do País, superando outras cidades do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo.

 

A coordenadora de Divisão de Média Complexidade, Flávia Lipke, explica que atualmente não existe mais demanda reprimida. “Estamos ofertando cada vez mais acesso à mamografia através de ações de valorização da mulher. É o governo Samuca Silva investindo na qualidade de vida da população e na redução de mortalidade por câncer de mama”, disse Flávia Lipke.

 

O secretário Municipal de Saúde acrescenta que a Constituição Federal, através da Lei Complementar 141, preconiza que o investimento em saúde nos municípios deve ser de 15%. “Ano passado o prefeito Samuca investiu 37%. Com esses investimentos estamos promovendo um melhor acesso ao diagnóstico em tempo oportuno, reduzindo os índices de mortalidade na população feminina em Volta Redonda”, finalizou Alfredo.

 

Por Fátima Santos - Secom VR