Município sediará ação, sendo base para cidades como Pinheiral, Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores e Valença

 

Nos dias 23 e 24 de setembro Volta Redonda será pólo regional de atendimento e capacitação no combate  à hanseníase. O “Projeto Roda Hans – Carreta da Saúde”, do Ministério da Saúde, que conta com o apoio do Governo do Estado, acontecerá na Praça Brasil, das 8h às 17h, com toda estrutura focada para a conscientização sobre a importância da identificação precoce de hanseníase. Volta Redonda sediará a ação, sendo pólo para os municípios vizinhos de Pinheiral, Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores e Valença.

 

O Roda Hans é uma unidade itinerante com cinco consultórios e um laboratório para realização da baciloscopia (exame que detecta a hanseníase), além de biopsia. O projeto inclui também um treinamento prático com profissionais da rede municipal de saúde. Novos casos diagnosticados iniciam o tratamento imediatamente, e são direcionados para acompanhamento nas unidades de saúde do município de residência.

 

Segundo o secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, pessoas com mancha na pele e sem sensibilidade nela devem comparecer a unidade básica de saúde mais próxima da sua residência. "Nossa meta é realizar busca ativa de novos casos e de quem teve contato com pacientes, além de capacitar os profissionais para serem multiplicadores na assistência integral", disse o secretário.

 

A hanseníase é transmitida pela via respiratória e o tratamento, que varia de 6 a 12 meses, é feito através de medicamentos específicos para a doença. Em Volta Redonda foi realizada, nos meses de junho e julho, uma capacitação para médicos, enfermeiros da atenção básica e agentes comunitários de saúde para qualificar esses profissionais para o atendimento ao paciente doente. As aulas práticas dessa capacitação acontecem durante os dias em que a carreta estiver em Volta Redonda. De acordo com a Coordenadora da Divisão de Média Complexidade do município de Volta Redonda, Flavia Lipke, atualmente em Volta Redonda existem 12 pacientes em tratamento de hanseníase. Segundo ela, a doença está ativa, pois do total de casos existentes, dez são do tipo multibacilar, que é a forma contagiosa da doença, sendo os outros dois sem qualquer risco de transmissão, tipo paucibacilar.

 

O prefeito Samuca Silva ressaltou que Volta Redonda está engajada em contribuir com o Ministério da Saúde nesse processo de prevenção da hanseníase. “Através da capacitação dos profissionais de saúde será possível descentralizar o atendimento no município. Com isso, o diagnóstico e tratamento poderão ser realizados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Saúde da Família UBSF)”, disse o prefeito.

 

Por Fátima Santos - SecomVR