Carreta da Saúde, do Governo do Estado, estará na Praça Brasil atendendo a população na prevenção à Hanseníase

 

Volta Redonda receberá nos dias 23 e 24 de setembro a Carreta do Ministério da Saúde. A ação faz parte do projeto Roda-Hans – Carreta da Saúde, que conscientiza a população sobre a hanseníase, seus sinais e sintomas, e oferece atendimento qualificado para favorecer o diagnóstico precoce dos casos e iniciar o tratamento da doença. O veículo vai ficar estacionado na Praça Brasil das 8h às 17h. A carreta é uma unidade itinerante com cinco consultórios e um laboratório para realização da baciloscopia (exame que detecta a hanseníase), além de biopsia.O projeto inclui também um treinamento com profissionais da rede municipal de saúde.

 

Para o secretario municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, o objetivo da iniciativa é de diagnosticar precocemente casos de hanseníase, seus sinais e sintomas, além de ofertar atendimento qualificado e iniciar o tratamento da doença. “O principal sintoma da hanseníase é o aparecimento de manchas que não coçam, não ardem e não doem. Exatamente pela falta de sensibilidade na área, muitas vezes sequer são notadas pelos pacientes. Por isso é tão importante estar atento e começar o tratamento o quanto antes”, ressalta o secretário.

 

O prefeito Samuca Silva faz um apelo às pessoas que tiveram contato com os pacientes que tem a doença desde 2014. “A carreta irá beneficiar principalmente essas pessoas. É importante aproveitar essa oportunidade. A hanseníase tem cura, mas as sequelas que ela pode deixar não têm. Vale ressaltar que o tratamento é realizado na rede municipal de saúde de forma gratuita”, disse o prefeito.

 

A hanseníase é transmitida pela via respiratória e o tratamento, que varia de 6 a 12 meses, é feito através de medicamentos específicos para a doença. Em Volta Redonda foi realizada, nos meses de junho e julho, uma capacitação para médicos, enfermeiros da atenção básica e agentes comunitários de saúde para qualificar esses profissionais para o atendendo ao paciente doente. As aulas práticas dessa capacitação acontecem durante os dias em que a carreta estiver em Volta Redonda.

 

Tratamento - Hoje Volta Redonda tem 12 pacientes em tratamento de hanseníase. De acordo com a coordenadora do programa de Hanseníase, Rejane Queiroz e Silva, a doença está ativa, pois do total de casos existentes, dez são do tipo multibacilar, que é a forma contagiosa da doença, sendo os outros dois sem qualquer risco de transmissão, tipo paucibacilar.

 

“Como a hanseníase é uma doença silenciosa, é possível que haja outros doentes. Por isso, a secretaria municipal de Saúde pede que a população fique atenta às informações sobre os sintomas e o diagnóstico. Quanto antes começarmos o tratamento, menores são as chances de transmissão e de sequelas”, alerta Rejane.

 

O tratamento é realizado no Centro de doenças infecciosas (CDI) e nas Unidades Básicas de Saúde que passaram pelo treinamento. O CDI conta com duas médicas, uma enfermeira, uma fisioterapeuta além da coordenação.

 

Por Fátima Santos - Secom/VR