Coordenadoria de Prevenção às Drogas capacita professores das escolas públicas de Volta Redonda

Professores, funcionários e direção das escolas tiveram como foco a prevenção ao uso de álcool e outras drogas

A Coordenadoria Municipal de Prevenção às Drogas (CMPD) realizou no Colégio Getúlio Vargas, no bairro Laranjal, uma capacitação contra o uso de álcool e outras drogas para 500 funcionários da Secretaria Municipal de Educação. Com o tema “O que cada um de nós pode e deve fazer”, funcionários e setores pedagógicos das escolas municipais, incluindo as unidades da Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda), foram orientados para atuar em sala de aula. O projeto, denominado Escola Preventiva, faz parte das ações desenvolvidas pela CMPD.

O coordenador da CMPD, Ricardo Vinicius Cunha, citou que o foco é a prevenção, visando evitar o uso do álcool, o fumo e outras drogas por aqueles que nunca tiveram a curiosidade de usar, mantendo esta distância pelos malefícios que tais substâncias fazem a saúde de qualquer pessoa: “Esses professores, funcionários e direção pedagógica das escolas, certamente vão se transformar em multiplicadores de opinião e já estão promovendo ações nas primeiras 52 escolas já atendidas”, explicou, ressaltando que todas as escolas receberão o treinamento do Escola Preventiva.

O prefeito Samuca Silva destacou a importância das palestras contra ao uso de drogas, do Escola Preventiva. “O projeto conta com palestras que proporcionam à comunidade escolar espaços de reflexão e discussão das causas, efeitos e consequências destes males para a sociedade, disse o prefeito  anunciando que, no ano que vem, a Coordenadoria vai desenvolver atividades com professores e alunos das creches, desde o ensino infantil ao  fundamental e ensino médio, promovendo uma ação por bimestre.

“Assim, chegaremos ao final do ano com ações realizadas em cada unidade escolar da rede, envolvendo todas as equipes. Isto vai fortalecer as políticas públicas de prevenção do governo municipal, contra o uso de álcool e outras drogas, que é a nossa prioridade  nas ações articuladas”, finalizou Samuca.

Programa Permanente de Prevenção

Professores que participaram da formação, destacaram o aprendizado como ferramenta auxiliar de combate e de prevenção: “O conhecimento é muito esclarecedor, é uma soma geral nesse aprendizado com aquilo que já sabemos. O problema é muito sério e envolve também trabalhar com a família, que é a base de tudo. O jovem não vê o perigo que está correndo e o dano que traz ao organismo”, disse a professora Regina Célia Francisquini, do João XXIII e J.B. de Athayde.

A professora e implementadora de Educação para Jovens e Adultos da SME, Caroline Pereira, comentou: “Estamos aprendendo como lidar, como fazer. É um trabalho novo que tem na prevenção a melhor forma de agir dentro das escolas”, frisou.

Afonso Gonçalves, fotos de Gabriel Borges