Defesa Civil de Volta Redonda orienta os moradores durante ‘estado de alerta’ de Verão

Período mais intenso de chuvas vai até 31 de março, mas não houve registro de ocorrências graves na cidade, afirma Defesa Civil

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil, de Volta Redonda, tem trabalhado com 4 equipes permanentes, num rodízio de 24 horas, durante o Estado de Alerta, decretado pelo Prefeito Samuca Silva para atender a população nas emergências causadas por tempestades. O decreto coloca toda a máquina administrativa da prefeitura à disposição da Defesa Civil até 31 de março de 2019. Duas equipes trabalham diariamente, e outras 2 equipes noturnas completam os plantões de 24 horas, acessadas pelo telefone 199.

O coordenador da Defesa Civil, Leandro Resende, orienta os moradores a não ficar nas residências em casos de ameaças de inundação ou deslizamentos de terra próximo a moradia.   

Não tivemos nenhuma ocorrência de gravidade por causa das chuvasSó ocorrências menoresO importante para as famílias,  principalmente em casos de alagamentos ou deslizamento de terra, sair imediatamente da residência,  ir para uma casa de parentes ou locais públicos nos bairros,  e acionar a Defesa Civil que daremos uma resposta imediata”, frisou Leandro.

O prefeito Samuca Silva comentou o decreto para atender a população: “Nós colocamos todas as secretarias municipais e órgão públicos a disposição da Coordenadoria da Defesa Civil para socorrer os moradores em casos de emergência. Mas antes disso, temos priorizado os investimentos em prevenção com obras, limpezas de córregos e da rede pluvial, preparando a cidade para receber e passar bem pelo período das chuvas, que são essenciais”, disse.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, o órgão tem fixadas réguas de medição do nível das águas do Rio Paraíba, uma na própria sede, e outras nas margens do rio, em pontos estratégicos que ajuda nas medidas preventivas que são necessárias junto aos moradores ribeirinhos. Dois pluviômetros ativos foram instalados nos bairros Retiro e Santa Cruz que medem a quantidade de chuvas e servem de parâmetros para estudos e futuras ações a serem tomadas.

Os bairros Vila Brasília, Água Limpa, Açude são focos de atenção da Defesa Civil devido a topografia dessas áreas, sujeitos a deslizamento de terras. Mas o coordenador disse que os investimentos feitos pelo poder público, minimizaram os riscos:

O governo municipal através do Furban, Fundo Comunitário, fez investimentos em contenções de encostas e prossegue com os investimentos preventivos. Nós trabalhamos com cursos e palestras nas escolas, orientação direta com as associações de moradores e monitoramento das áreas. Acredito que todo esse trabalho preventivo minimizou os riscos. Não tivemos nenhuma ocorrência de gravidade para a comunidade”, comparou.

 

Afonso Gonçalves