Em março, 39 residências foram interditadas pela Defesa Civil do município

 

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil da Prefeitura de Volta Redonda se reuniu com moradores da Rua Helvécio Gomes Pimenta, no bairro Retiro, para atualizar a situação do local, onde 39 residências foram interditadas em maio por risco de deslizamento.

 

Durante a reunião, que também teve a participação dos secretários municipais do Gabinete de Estratégia Governamental, Nelson Gonçalves; de Ação Comunitária, Ailton Carvalho; e de Meio Ambiente, Jadiel Teixeira; além do diretor do Furban (Fundo Comunitário de Volta Redonda), Davi Silva, foi apresentado o resultado da sondagem realizada no local para avaliação dos danos.

 

“A Defesa Civil apontou, no início de março, risco eminente de desmoronamento no local, e 39 casas foram interditadas. As famílias receberam apoio da prefeitura municipal, através da Smac, e uma força-tarefa foi montada para resolver o problema”, relembrou o coordenador da Defesa Civil, Leandro Rezende.

 

Desde então várias intervenções já foram realizadas no local, como obras na rede de esgoto, feitas pelo Saae VR (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) e podas de árvores e retirada de entulhos.

 

De acordo com a Defesa Civil o relatório apontou que apenas a Alameda U precisará permanecer interditada e que os demais moradores já podem retornar para suas residências. “A Alameda U precisará passar por reestruturação e quatro residências precisarão ser demolidas. Todo o trabalho está sendo acompanhado pela Smac e nenhuma família ficará desamparada”, comentou Leandro.

 

O Fundo Comunitário de Volta Redonda será o órgão responsável pelas melhorias no local. “Será feito um muro de contenção para que, no futuro, a localidade não volte a sofrer com as chuvas. Todo o projeto já está na fase de levantamento de custos e esperamos poder começar o quanto antes”, contou o diretor do Furban, Davi Silva.

 

SecomVR, com fotos de Gabriel Borges