Encontro, na manhã desta quinta-feira, dia 12, apresentou protocolos para o monitoramento de desastres naturais

 

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Volta Redonda recebeu, na manhã desta quinta-feira, dia 12, uma equipe do Cemaden-RJ (Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais) do Estado do Rio de Janeiro. Durante o encontro, foram apresentados protocolos e regras para o monitoramento de desastres hidrológicos, como inundações, alagamentos, enxurradas e chuvas intensas; e geológicos, como deslizamentos de terra. E ainda houve um relato sobre as condições locais para que a metodologia do trabalho fosse adequada à realidade do município.

 

De acordo com a tenente-coronel Sílvia Santana do Amaral, que dirige o Cemaden-RJ, o foco da visita é a troca de experiência com os agentes locais. “Atendemos todo o Rio de Janeiro e, apesar de ser um território pequeno, se trata de um terreno heterogêneo. Cada região apresenta características distintas. Para conhecer essa pluralidade e buscar a excelência no trabalho de prevenção de desastres fazemos visitas a todas as regiões do estado”, falou, lembrando que estava acompanhada de nove membros do Cemaden-RJ.

 

O coordenador de Proteção e Defesa Civil de Volta Redonda, Leandro Rezende, afirmou que o trabalho em conjunto com o órgão estadual é imprescindível para o sucesso das operações. “Com conversa, troca de informações e treinamento, conseguimos minimizar os efeitos dos desastres naturais na população e até evitá-los”, contou.

 

 

 

Ele lembrou que, além dos dez agentes de Defesa Civil, participaram do encontro funcionários da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Furban (Fundo Comunitário de Volta Redonda) e IPPU (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano). O evento ainda contou com a presença de um grupo da Defesa Civil do município vizinho de Barra Mansa, que fez o treinamento em Volta Redonda. 

 

Leandro aproveitou a reunião com a equipe do Cemaden-RJ para apresentar um relatório do trabalho após às chuvas torrenciais de abril de 2019. “Foram muitas ocorrências, mas a Defesa Civil do município atuou com rapidez e foco nas prioridades. Não havendo registro de vítimas fatais”, explicou.

 

A engenheira civil Bruna Souza Matos Nazaré, sub-coordenadora municipal de Defesa Civil, também participou do encontro e aprovou o intercâmbio com a equipe do estado. “Considero o que fizemos hoje como treinamento para aperfeiçoamento das ações. E quem ganha é a população de Volta Redonda”, disse.

 

O diretor do Departamento de Informação e Tecnologia do IPPU, Luiz Eduardo Couto Figueiredo, e Gledson Costa Cruz, que atua na divisão de geoprocessamento do mesmo departamento, estavam na reunião para fornecer dados e adquirir conhecimento. “Aprender os protocolos de monitoramento conhecendo os problemas mais comuns ao município pode otimizar o trabalho”, acredita Luiz Eduardo.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, afirmou que o trabalho em conjunto é mais forte e eficaz. “Com o suporte da equipe estadual, que passa sua experiência e mostra atualizações sobre os protocolos de monitoramento de desastres naturais, quem ganha é a população”, falou.

 

Por Renata Borges com fotos de Geraldo Gonçalves – Secom/VR