Nesta terça-feira, dia 26, agentes da corporação falaram sobre o tema, de forma lúdica, para alunos da Apae

 

Agentes da Guarda Municipal de Volta Redonda (GMVR) abordam de forma lúdica, usando personagens desenvolvidos para diferentes faixas etárias, o tema “Educação no Trânsito”. O projeto, criado pela equipe de palestra da corporação, atende empresas e escolas e, somente nos últimos três meses, alcançou 600 alunos de várias idades. Nesta terça-feira, dia 26, os guardas municipais Wilma Barbosa da Costa, há 19 anos na corporação; Gesio Goulart da Rocha, há 32 anos na guarda; e Claudinei Evangelista de Assis, agente há 29 anos, atuando hoje na Patrulha Escolar, se uniram para ensinar aos alunos da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) sobre como se comportar no dia a dia no trânsito.

 

Eles fizeram a palestra em dois turnos, manhã e tarde, e falaram para cerca de 60 alunos da instituição. O guarda municipal Goulart explicou que a abordagem, assim como os personagens do teatro, é adequada à idade do público. “Neste caso, como são jovens com deficiência intelectual, falamos mais sobre a postura e os cuidados sob a ótica do pedestre”, disse, avisando que a instituição ou empresa interessada pode entrar em contato com a Guarda Municipal para agendar uma palestra. 

 

Na Apae, os agentes usaram o personagem Motorista Maluco, voltado para crianças de 11 a 13 anos, para testar se o público assimilou os ensinamentos da palestra. O aluno Daniel Domingos Medeiros Filho, de 20 anos, participou do teatro e estava atento às barbeiragens do Motorista Maluco. “Moro no bairro Três Poços e venho para a Apae sozinho. Sei que tenho que ter cuidado com os motoristas e ciclistas”, falou, acrescentando que também sabe que pode contar com a Guarda Municipal.

 

Para a faixa etária de dois a cinco anos, o grupo trabalha com fantoche, Caco, um macaquinho; para as crianças entre seis e nove anos, entra em cena o Boneco Ventríloquo, vestido com o uniforme da Guarda Municipal; e para os maiores de 14 anos, um “acidentado” faz um depoimento para o público.

 

A diretora da Apae, Ana Gilda Maria da Silva Santos, disse que conheceu o projeto por intermédio da Patrulha Escolar, que sempre dá assistência à instituição. “Fiquei sabendo do trabalho e achei que a palestra podia colaborar com a ação que já temos para desenvolver e incentivar a autonomia entre os alunos”, contou, lembrando que as atividades também visam passar segurança e tranquilidade para os pais.

 

Por Renata Borges com fotos de Evandro Freitas – Secom/VR