Curso prepara guardas municipais para ajudar na remoção de pessoas feridas em acidentes de carro

 

Um grupo de sete guardas municipais participou, na última semana, de treinamento para socorro em casos de acidentes de veículos com pessoas feridas. O curso de dois dias foi realizado na sede do 22º Grupamento do Corpo de Bombeiros Militar do Estado, no bairro Aterrado, em Volta Redonda. A equipe de instrutores era formada por oficiais da corporação de Niterói (RJ), da sessão de treinamento e pesquisa, da Diretoria de Socorro e Emergência.

 

O treinamento, no pátio dos bombeiros, usou quatro veículos fora de uso e uma viatura da própria corporação, simulando a retirada de acidentados em maca para serem transportados para hospitais. Os guardas receberam instruções básicas de socorro a pessoas acidentadas. Para dar veracidade ao curso, guardas e bombeiros foram voluntários no papel de acidentados e foram retirados do veículo e imobilizados. O objetivo era mostrar as dificuldades de resgatar com segurança os acidentados, ainda lúcidos, mas com suspeitas de traumas, de forma a não agravar com mais lesões aos feridos.

 

Ana Lúcia, que já atuou no resgate da Guarda Municipal, disse o que aprendeu. “Esta reciclagem é importante porque muita coisa mudou no protocolo de atendimento. O Ked que é um equipamento que imobiliza a coluna cervical, o pescoço, a parte lombar e dorsal, não está sendo usado em alguns países que o testaram em situações reais. Nós estamos agregando mais informações que vivenciamos no dia a dia, porque a Guarda normalmente é a primeira a chegar. O objetivo é ajudar os bombeiros”, comparou.

 

Também na última semana, 34 inspetores da Guarda Municipal fizeram um treinamento de “Ética e Relacionamento”, coordenado pelo setor de capacitação da FEVRE (Fundação Educacional de Volta Redonda), para que possam desenvolver ações com maior segurança e aprimoramento na eficiência na prestação de serviços públicos à população.

 

A GM é responsável por fiscalizar e coordenar o trânsito, fazer a segurança de prédios públicos e das escolas municipais com a Patrulha Escolar, colaborar e interagir com as forças de segurança no combate ao crime e a violência na cidade, entre outras atividades.   

 

Por Afonso Gonçalves com fotos de Gabriel Borges – Secom/VR