Programa da Agencia Nacional de Águas já depositou R$ 1,5 milhão na conta da prefeitura que serão revertidos em investimentos do SAAE

 

A Prefeitura de Volta Redonda pode receber até R$ 6 milhões por eficiência no tratamento de esgoto. A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Gil Portugal foi certificada pelo Prodes (Programa de Despoluição de Bacias Hidrográficas) da Agencia Nacional de Águas (ANA) e o município já recebeu cerca de R$ 1,5 milhão referentes a avaliações nos seis últimos meses de 2019. A cada três meses, a ETE passa por nova vistoria e, comprovada a manutenção da eficiência, o município recebe uma parcela de R$ 750 mil.

 

O prefeito Samuca Silva afirmou que o dinheiro será investido em projetos do Saae-VR (Serviço Autônomo de Água e Esgoto). “Melhorar o saneamento, a distribuição de água e ampliar o tratamento do esgoto em Volta Redonda estão entre as prioridades da gestão. Com a chegada deste recurso federal vamos poder avançar ainda mais neste propósito”, garantiu.

 

O diretor presidente do Saae-VR, José Geraldo Santos, o Zeca, explicou que a ETE Gil Portugal, que fica na Rodovia Lúcio Meira, passou por ajustes para se adequar aos padrões de eficiência estabelecidos pelo Prodes. “Em 2019, fomos avaliados pelos auditores do programa e conquistamos a certificação. As vistorias trimestrais vão continuar por todo ano de 2020 e vamos trabalhar para manter a aprovação do programa e conquistar mais recursos”, contou.       

 

Zeca lembrou ainda que esta gestão fez investimentos que ampliaram o tratamento de esgoto no município, que hoje atinge 37%. “Reformamos a ETE Volta Grande IV e inauguramos a Elevatória de Esgoto na 207, que ampliou a coleta e a capacidade de tratamento da ETE Gil Portugal. Além destas, o município possui mais seis ETEs, no Santa Cruz, Roma, Santo Agostinho, Padre Josimo, Parque do Contorno e Vila Rica/Tiradentes”, explicou.  

 
Por Renata Borges com fotos de Geraldo Gonçalves e arquivo – Secom/VR