Prefeitura altera trânsito para acesso a novo shopping 

Objetivo é evitar engarrafamentos e acidentes após a inauguração do centro comercial, prevista para o final de outubro. Para alteração, árvores foram podadas e 200 novas mudas foram plantadas às margens da Rodovia dos Metalúrgicos

 

A prefeitura de Volta Redonda está realizando obras de alteração de transito na Rodovia dos Metalúrgicos, em frente ao Novo Shopping. Ação tem o envolvimento das secretarias municipais de Transporte e Mobilidade Urbana, Meio Ambiente, Infraestrutura e Guarda Municipal. As equipes estão retirando um canteiro para ampliar a pista. O objetivo da obra é evitar engarrafamentos e acidentes após a inauguração do Novo Shopping, prevista para o final do mês de outubro.

 

“Com a abertura do Shopping é inevitável o aumento do fluxo de veículos no local. A ideia é aumentar o número de pistas nesse trecho, para evitar engarrafamentos e acidentes”, explicou o secretário municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, Maurício Batista. Ele contou ainda que está aproveitando esse período sem chuva para adiantar o serviço. A previsão é que as obras sejam concluídas em quatro dias.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, pediu a compreensão da população que passa pelo local. “Estamos agilizando o serviço para que o período de interdição da via seja curto. Pedimos a compreensão da população para pegarem caminhos alternativos, como a Rua 60, ou os bairros Siderópolis e Casa de Pedra”, disse o prefeito.

 

A SMI mobilizou recursos próprios para ajudar na execução da obra. “Deslocamos quatro retro escavadeiras, 16 caminhões e duas equipes de poda. Esse serviço vai ser essencial para melhoria do transito no local”, informou o secretário municipal de Infraestrutura, Toninho Oreste.

 

Para a realização da obra foi necessária a retirada de algumas árvores que ficavam no canteiro. O secretário de Meio Ambiente de Volta Redonda, Maurício Ruiz, afirma que nenhum dano ambiental será causado com essa retirada. “Nós tiramos algumas árvores do local, mas nenhuma delas é nativa. Nós estamos fazendo uma compensação ambiental e já plantamos mais de duzentas árvores nativas, todas adequadas no padrão internacional”, explicou Maurício.

 

Por Ana Maria Mansur, com fotos de Evandro Freitas - Secom VR