Trabalho realizado verificou estado dos veículos, horários e documentação

 

Equipes de fiscalização da secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana de Volta Redonda (STMU) realizou nesta quinta-feira, dia 02, a  fiscalização das linhas de ônibus municipais, na Rodoviária Municipal Prefeito Francisco Torres e no terminal do elevado Castelo Branco, no  bairro Jardim Ponte Alta. No total, a fiscalização entrou em 30 veículos, fez 12 notificações e retirou de circulação 11 veículos.

 

Segundo o chefe da Divisão de Fiscalização de Transportes, Sidnei Souza Costa, dois veículos da linha intermunicipal estavam rodando nas linhas municipais Santa Cruz e Roma II e foram retirados de circulação. Outro veículo irregular retirado foi o intermunicipal que estava fazendo a linha municipal Santa Rita do Zarur.

 

Ao todo foram expedidos 11 autos de infração aplicados pela STMU por irregularidades, falta do CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo), que é um documento de porte obrigatório de acordo com o artigo 133 do Código de Trânsito Brasileiro, banco solto, falta de pneus novos, vazamento de óleo diesel e veículos fora da linha autorizada”, justificou Sidnei Costa.

 

As operações são rotineiras para atender o público, usuários do transporte coletivo, que estão insatisfeitos com a qualidade dos serviços prestados por empresas de ônibus no município.

 

Segundo o secretário municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, Maurício Batista, as empresas que operam no município tiveram os seus veículos fiscalizados pela equipe. “A fiscalização verificou documentos dos veículos e motoristas, horários e condições internas e externas, como pneus, bancos de passageiros. O objetivo é assegurar a qualidade no atendimento porque estamos recebendo um número muito alto de reclamações dos usuários. Portanto, faremos essas operações de forma constante”, afirmou Maurício.

 

Ele acrescentou que os veículos com irregularidades estão sendo apreendidos e multados, sujeitos a multas de R$ 1.450,00 por cada apreensão e recolhimento para a garagem. “Nesses casos, somente depois de pago a multa e atendido o motivo da apreensão, o veículo é novamente inspecionado e liberado para a empresa voltar com este a atividade. Então, quanto mais rápido ela atender a notificação feita, mais rápido poderá voltar a usar o carro. Se demorar, o prejuízo maior será dela. O importante é garantir o conforto e a segurança dos usuários. Isto é bom também para os rodoviários, funcionários da empresa que estão trabalhando nas linhas”, comentou o secretário.

 

O importante é assegurar a qualidade dos serviços prestados à população. Sabemos dos transtornos causados, mas é necessário o poder público fazer esta fiscalização para buscar um transporte público mais eficiente”, frisou Samuca.

 

Por Afonso Gonçalves, fotos de divulgação, SecomVR