Volta Redonda discute revisão do Plano Diretor 2018

Representantes de vários setores da sociedade debateram mudanças para o futuro da cidade

 

O presidente do IPPU VR (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Volta Redonda), Márcio Lins, debateu com integrantes do CMDU(Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano) e representantes da sociedade em geral, a revisão do atual Plano Diretor Participativo, aprovado em 2008 e que está sendo revisado para a construção do Plano Diretor 2018, previsto para ser votado e aprovado até dezembro deste ano.

 

Foram feitas perguntas básicas como "o que é bom no seu bairro?", "o que é ruim?", "o que é bom em Volta Redonda?", "qual o motivo de orgulho para a cidade?" e "o que você gostaria que existisse no município nos próximos 10 anos?". O resultado deste trabalho será aproveitado como propostas para o Plano Diretor.

 

Márcio Lins comentou a importância do debate na elaboração das novas propostas para o futuro do município: “O Plano Diretor é de grande importância para definir o futuro da cidade em construção, a regulamentação do seu crescimento e garantir a qualidade de vida para as novas gerações. Essa discussão está sendo feita com a participação dos melhores especialistas da região e estamos seguindo as orientações do prefeito Samuca Silva de democratizar os destinos da cidade”, disse.

 

Estão prevista cinco reuniões e uma audiência pública, que devem ocorrer antes do envio do documento para a votação na Câmara dos Vereadores. “Temos pesquisado outras cidades como referências para o nosso Plano Diretor que tem prazo de 10 anos para revisão. O nosso objetivo é entregar o Plano ainda esse ano, e o conjunto das leis como o zoneamento e parcelamento do solo, o código de obras deverão ser revistos no ano que vem, dentro do prazo estipulado pelo novo Plano Diretor”, explicou Márcio Lins.

 

A presidente da Associação de Moradores do bairro Niterói, Cláudia Amorim, saiu satisfeita do encontro: “O Plano está sendo muito bem revisado com todos os componentes urbanos, principalmente de mobilidade urbana. Vamos colaborar para o desenvolvimento da cidade”, destacou. Leandro Rezende, da Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil, destaca o trabalho para o novo Plano Diretor: “Importante a participação de todos, pensar a cidade para que o crescimento seja direcionado. É a ferramenta que nós temos que vai nos mostrar como será a ocupação do solo e corrigir o que estiver errado”, concluiu.

 

Afonso Gonçalves com Fotos de Geraldo Gonçalves