Confraternização e apresentação dos alunos, indicados pela Secretaria Municipal de Educação, marcaram a última aula do ano

 

A Escola de Hipismo da Fundação Beatriz Gama (FBG), em Volta Redonda, tem um importante papel pedagógico para as mais de 40 crianças que praticam o esporte. De acordo com os pais e responsáveis pelo projeto, o desenvolvimento acadêmico e social delas é surpreendente. Para comemorar a última aula do ano, alunos, instrutores e familiares participaram de uma confraternização nesta quinta-feira, dia 28, na Ilha São João.

 

Para o prefeito Samuca Silva, esse é um projeto de muito orgulho para a cidade. “A relação entre crianças e animais dá certo. É uma grande vitória poder ter na cidade uma escola de equitação gratuita, ainda mais voltada para o desenvolvimento dos alunos”, comentou Samuca.

 

O diretor pedagógico da FBG, Rodrigo dos Santos, contou que os alunos são indicados pela Secretaria Municipal de Educação (SME), de acordo com a necessidade de melhorias comportamentais e de desenvolvimento. “O resultado é muito legal. As crianças apresentam uma melhora significativa com o decorrer das aulas de equitação”, disse.

 

A criança e o animal criam um vínculo muito forte e isso é um ponto positivo para trabalhar a confiança e a disciplina do aluno. “É uma atividade que exige muito da parte motora e do foco. O Hipismo é um esporte que a gente tem o prazer de disponibilizar para as crianças da rede”, afirmou o presidente da Fundação Beatriz Gama, Davi Silva.

 

Jussara Reis, mãe da Maria Fernanda, de 11 anos, contou sobre o desenvolvimento da menina. “Ela veio de uma série de tratamentos e aqui ela conseguiu se desenvolver. A Maria Fernanda se encontrou no projeto”, comemorou. 

 

A estrutura da Escola Municipal de Hipismo funciona na Ilha São João e conta com oito cavalos disponíveis para as aulas. A FBG disponibiliza um tratador, que fica por conta do cuidado dos animais, além de acompanhamento veterinário.

 

Por Ana Maria Mansur, com fotos de Gabriel Borges
Secom VR