Guardas Municipais fizeram nesta quinta-feira, 24, o workshop de Relações Humanas

 

De fevereiro a outubro deste ano, 800 pessoas participaram de cursos de capacitação profissional gratuitos oferecidos pela Fundação Educacional de Volta Redonda (Fevre). As aulas são ministradas na sala de treinamento Airton Lécio do Prado Castro, no Colégio Getúlio Vargas, pela professora e diretora, Cléia Teixeira Camilo, e a assistente Mariana Carneiro.

 

O prefeito Samuca Silva explicou que o trabalho foi intensificado a partir do Mutirão do Emprego, realizado este ano, aproveitando os conhecimentos dos profissionais da Fevre para capacitar os trabalhadores. “As empresas buscam funcionários qualificados no mercado de trabalho. E na outra ponta de atendimento público, quanto mais preparados os servidores municipais estiverem, melhor será o atendimento e a satisfação dos contribuintes”, disse Samuca.

 

Capacitação na Guarda Municipal

 

Nesta quinta-feira, dia 24, um grupo de inspetores da Guarda Municipal participou do workshop Relações Humanas. Eles foram treinados em técnicas de convivência, autocontrole para mediação de conflitos, mantendo o bom senso e o diálogo como ferramenta fundamental nas tomadas de decisões. Todos foram certificados pela Fevre.

 

A diretora Cléia Camilo destacou os objetivos visados. “A administração municipal, através da Fevre, quer conduzir os funcionários ao conhecimento das relações humanas no trabalho, levando-os a compreender teorias, os conceitos e a importância das relações interpessoais no ambiente profissional, como compreender e respeitar a ética, trabalhar a dinâmica de grupo e os fundamentos da comunicação e liderança no atendimento ao público”, enfatizou Cléia.

 

O inspetor Amarildo da Silva, de 53 anos, sendo 31 de serviços prestados à Guarda Municipal, cita os benefícios da capacitação recebida pelo grupo. “Esse curso vai fortalecer o nosso trabalho diário, melhorar o ambiente entre os colegas e nos oferecer um suporte seguro no atendimento à população. Em todas as profissões, a reciclagem é necessária para a conquista de novos conhecimentos”, finalizou.

 

Por Afonso Gonçalves, fotos de Geraldo Gonçalves, Secom