Evento na noite de ontem, sexta-feira, 28, com a Orquestra de Cordas de Volta Redonda, lotou Teatro Gacemss e conquistou o público

O projeto Volta Redonda Cidade da Música, sob a coordenação do maestro Nicolau Martins de Oliveira, a maestrina e pianista Sarah Higyno, e o maestro da Banda de Concerto do município, José Sérgio Torres da Rocha, realizou na noite de sexta-feira, 28, das 19h30 às 21h,  no Teatro Gacemss, na Vila Santa Cecília, um grande concerto com a participação do maestro convidado, Ernani Chaves Henrique Aguiar.  O público lotou os 430 lugares do teatro e aplaudiu com entusiasmo as apresentações da Orquestra de Cordas de Volta Redonda sob a regência do maestro Ernani Aguiar.

O programa mostrou três peças de compositores europeus nunca executados no país, como Ernst Gernot Klussmann, Kocsar Miklós, Michelle Mascitti, Félix Mendelssohn Barthold e dos brasileiros Duda, Ernani Aguiar. No entanto, a primeira música a abrir o espetáculo, Instantes II ( Cantilena, Ronda), de autoria do maestro convidado, foi regida pela Sarah Higino, respeitando a vontade do autor de não reger as próprias composições.

O maestro Ernani, é mineiro de Ouro Preto(MG), ficou 4 dias na cidade, participando de ensaios na sede do projeto na Vila Mury com os estudantes do projeto, um ensaio aberto na quinta-feira, 27, no Teatro Gacemss e o grande concerto nesta sexta-feira com cerca de 2 horas de duração. Um dos momentos de emoção, foi quando  ele chamou a violista Reneide Gonçalves, 34 anos, da Orquestra de Cordas, para acompanhá-lo na canção.

Eu fiz a minha graduação em música com ele entre 2003 e 2007 na Universidade Federal(UFRJ). Foi como lembrar os velhos tempos na faculdade, dele nos ensinando. O projeto está há mais de 40 anos construindo uma base sólida para a educação como um todo e ajudando a formar músicos. Muitos que estão aqui estão se formando e outros já começando a graduação superior ”, disse Reneide há 8 anos na orquestra.

O maestro convidado elogiou o projeto Volta Redonda Cidade da Música, atualmente em 39 escolas públicas para mais de 4 mil estudantes da pré-escola ao ensino médio: “Estou realmente surpreso pelo que encontrei aqui. Trabalhar com essa orquestra foi fantástico. O investimento em música tem que ser permanente e obrigatório. O resultado foi muito bom”, frisou Ernani Aguiar, muito gentil em atender os que queriam tirar selfies com ele.

       

 

O prefeito Samuca Silva, comentou o nível alcançado pelo projeto nas escolas: “O desenvolvimento cultural passa pelas escolas a partir dos alunos e professores, formando cidadãos em música de excelência”.

 O presidente da FEVRE( Fundação Educacional de Volta Redonda) também destaca a atuação da Orquestra formada por alunos, monitores e professores que nasceram no projeto e hoje estão graduados em Música: “A Cidade da Música vem enriquecer cada vez mais o legado cultural com a participação do maestro Nicolau, da Sara e do José Sérgio, junto com o talento dessas crianças e jovens, futuros cidadãos e músicos, que estão sendo formados nas escolas públicas de Volta Redonda”.

O público e pais de estudantes eram somente aplausos para a Orquestra que brilhou junto com o maestro Ernani Aguiar, consagrado com várias edições e apresentações no país e no exterior. Ele também é professor de regência e prática de orquestra da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Participação especial dos trompetes Matheus Bento, Paulo Ricardo Oliveira, Sara Aparecida Leite: “Meu filho é aluno de violino do projeto e já está pensando em compor até o final do ano”, disse Daniele Miguel, 38, mãe de Pedro Henrique Miguel, 14.

A professora Carla Furtado classificou de ‘maravilhosa’ a apresentação. O soldador Adailton Pires, 53, é direto: “Gostei muito. É tudo muito bonito para os ouvidos e os olhos. A música faz bem a alma. Eu vim prestigiar o meu neto que está nas aulas de violoncelo”.  A estudante Maria Luiza Paixão de Almeida, 14, no 9º ano do ensino médio, na Escola Maria José Campos Costa, foi com um grupo de amigas ver o concerto: “Depois que entrei para o projeto, melhorei muito os meus estudos e passei a ter mais foco com as disciplinas”.

 

Por Afonso Gonçalves, fotos de Gabriel Borges, Secom