Parcelamento chega a 300 vezes sem juros e prazo vai até 30 de junho para quem tem renda familiar bruta de R$ 1.900,00

 

Quem estiver há algum tempo com as prestações em atraso, da casa própria da Cohab VR (Companhia de Habitação de Volta Redonda) – uma empresa pública de economia mista, que trabalha na habitação de interesse social, destinada ao público de baixa renda – pode a partir desta semana até 30 de junho de 2019, procurar os escritórios da Companhia e pedir o refinanciamento das dívidas. A empresa tem cerca de 18 mil mutuários dos empreendimentos construídos em 9 municípios no estado, sendo um no estado de São Paulo. Em Volta Redonda são cerca de 10 mil mutuários.

 

A notícia foi transmitida pelo vice-prefeito e diretor presidente da empresa, Maycon Abrantes. “Esta é uma grande oportunidade para os mutuários que estiverem com as prestações em atraso, bastando levar os documentos pessoais, carnê das prestações, CPF, aos escritórios da Cohab em Volta Redonda e nas outras cidades, como Resende, Nova Iguaçu e fazer a renegociação das dívidas.  Começamos esta semana e estamos abrindo em até 300 vezes o parcelamento, que depois de calculado, não sofrerá juros para quitação total. O prazo para os mutuários vai até 30 de junho de 2019”, explicou o presidente.

 

O escritório de Volta Redonda funciona na Avenida Ministro Salgado Filho, 620, Aero Clube, telefone para informações, 3339-9159. O horário de atendimento é das 12h às 17h30, de segunda à sexta-feira. O escritório de Resende está  situado na Av. das Mangueiras, 202, bairro Cidade Alegria, o telefone é (031 55)  3354 1608.  O escritório no município de Nova Iguaçu fica, fica localizado  na Avenida Amaral Peixoto, 428, sala 303, Edifício Galeria Veplan, tel (21) 2267 1016. 

 

A área comercial da Companhia de Habitação informou que a dívida é atualizada, podendo ter um desconto de até 70% nos juros. A adesão ao Plano de Renegociação das Dívidas atenderá as famílias com renda bruta familiar até R$ 1.900,00. Depois de atualizada a dívida com o cálculo final, não sofrerá juros contratuais o parcelamento desses valores, sendo as prestações fixas.

 

Os valores finais são parcelados em 300 vezes ou menos, conforme o interesse dos mutuários, sendo que nesses casos não existe nenhum juros contratual no parcelamento das prestações. 

 

“Queremos promover um grande parcelamento junto com a oportunidade de regularização da dívida. Quem tem contrato de gaveta ou que possuem comprovação de moradia há mais de 5 anos no imóvel, também pode nos procurar e aderir ao plano de renegociação  que terá a situação das prestações em atraso regularizadas, dentro das melhores condições”, prometeu o presidente.

 

Maycon acrescentou que os mutuários que comprovarem a moradia há mais de 5 anos podem ficar tranquilos e procurar os escritórios da Cohab. “A gente quer é acertar a situação das pessoas e proporcionar o direito de ter a casa própria. Um aluguel médio no município sai em torno de R$ 400,00. Vamos cobrar o valor de 25% da renda bruta, o que deverá ficar em torno de R$ 250,00 reais a parcela, bem abaixo do valor médio do aluguel”, concluiu o diretor presidente.

 

O prefeito Samuca Silva, aconselha a todos os mutuários em atraso a fazer a adesão ao plano de refinanciamento e garantir a escritura definitiva da casa ou apartamento onde reside no fim do contrato. Um bem patrimonial que é para toda a família, e sugere que nenhum dos 18 mil mutuários que estiver em atraso deve deixar de aderir e procurar os escritórios da Companhia de Habitação para a adesão e resolver as pendências financeiras com tranquilidade.

 

“O nosso objetivo é no final conceder aos mutuários a escritura definitiva com a quitação e a valorização do imóvel. Buscamos a concretização do sonho da casa próprio com o parcelamentos bem menores que a média dos aluguéis em Volta Redonda. A oportunidade está aberta a todos os mutuários com prestações atrasadas”, comparou.

 

Texto de Afonso Gonçalves, fotos de Gabriel Borges, SecomVR