O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, teve extensa agenda no Rio de Janeiro nesta segunda-feira, dia 25. O intuito foi tratar sobre temas ligados ao meio ambiente. As reuniões foram com a secretária Estadual do Ambiente, Ana Lúcia Santoro; e com o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Cláudio Dutra. Entre as pautas, a apresentação do Plano Diretor Ambiental, projeto de plantio de árvores em perímetro urbano, criação da reserva ambiental municipal, a retirada da pilha de escória e o TAC da Beira Rio.

 

Segundo Samuca, Volta Redonda está empenhada para ter uma agenda verde cada vez maior. "No caso do Pátio de Escória da CSN, apesar de ser pauta estadual, nós estamos atentos. Apresentamos à secretaria do Ambiente nossa proposta de diminuir o Pátio de Escória, levando o resíduo para outras áreas da cidade sem danos ao meio ambiente. Nossa proposta foi bem aceita e será levada às autoridades competentes", disse Samuca, acompanhado pelos secretários do Meio Ambiente, Maurício Ruiz, e Ação Comunitária, Marcus Convençal.

 

"Parecia um tabu debater meio ambiente em Volta Redonda, e esse é mais um paradigma que estamos quebrando. Apresentamos também à secretária de Ambiente, a proposta de criar a maior  Reserva Ambiental Municipal de todo o Vale do Paraíba que também será uma das 10 maiores do Brasil, ao redor do Parque do Ingá", comentou.

 

Samuca também aproveitou para apresentar o projeto de gerar energia através do lixo. "Já lançamos o edital e temos cinco propostas apresentadas para a Usina do Lixo, que vai gerar energia elétrica através dos resíduos. Isso é bom para o meio ambiente e ainda ajuda a economizar recursos públicos", disse.

 

A criação do Jardim Botânico na Ilha São João, que será construído ainda esse ano através de recursos de multas ambientais, foi uma das pautas da reunião.

 

"Em Volta Redonda, sempre houve dificuldade de áreas verdes de lazer, que ficava muito restrito ao zoológico. Com o Jardim Botânico, teremos um local seguro, livre e de lazer para a população", acrescentou.

 

Inea vai avaliar compensações ambientais para Volta Redonda

 

Samuca ainda foi recebido pelo presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), que se comprometeu a ajudar o município receber compensações.

 

"Queremos plantar, somente em perímetro urbano, 50 mil árvores. Algumas empresas, com compensação ambiental, doam mudas e fazem plantios de árvores. Mas Volta Redonda, por falta de projeto, não recebia essa compensação. Com nosso Plano Diretor Ambiental, vamos conseguir avançar nessa agenda verde ", disse Maurício Ruiz, secretário municipal do Meio Ambiente.

 

Outro projeto apresentado foi o pra certificar o Zoológico Municipal (ZooVR) como referência em recuperação de animais silvestres.

 

"Nosso Zoo é referência para todo o Brasil e estamos preparando uma grande revitalização. Agora estamos buscando essa certificação. É um serviço que já existe no nosso Zoo e com excelência. Recebemos os animais debilitados e os tratamos, soltando posteriormente na natureza ou, quando o animal não pode retornar ao habitat natural, ele fica no zoológico", comentou.

 

Maurício Ruiz também falou do compromisso da prefeitura com a coletiva seletiva. "Já somos referência no contrato de coleta seletiva, passando para as cooperativas realizarem essa coleta. Entretanto precisamos dar estrutura aos cooperados. Viemos buscar apoio no fornecimento de caminhões para transporte da coleta, como forma de reduzir os custos dos cooperados", acrescentou.