Implantação da nova área verde acontece na Ilha São João

 

Para garantir mais uma área de lazer próxima da natureza aos moradores de Volta Redonda, assim que as restrições para evitar o contágio pelo novo coronavírus não sejam mais necessárias, a obra no Jardim Botânico de Volta Redonda avança durante a pandemia. A reestruturação da Ilha São João inclui a construção de lago, fonte, pista de caminhada, parquinho e estrutura para churrasco. Tudo de graça para a população e com total acessibilidade.

 

O Jardim Botânico será dividido em vários setores: Caatinga, Cerrado, Amazônia, Mata Atlântica, com espécies específicas, e também com árvores de todo o mundo. O lago terá borda infinita e várias plantas aquáticas, inclusive da Amazônia. O parque infantil terá brinquedos adaptados para PCD (Pessoas com Deficiência), assim como no Zoológico Municipal.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, afirma que o Jardim Botânico é mais um legado de preservação e valorização do meio ambiente que deixará para o município. “Implantamos o maior plano municipal de arborização urbana da história da cidade; reformamos e modernizamos o Zoológico Municipal; revitalizamos o Parque Natural Municipal Fazenda Santa Cecília do Ingá; e ganhamos o Parque Natural Municipal Volta Redonda, na Rodovia dos Metalúrgicos, como contrapartida pela cessão de um acesso a um novo empreendimento imobiliário”, lembrou Samuca.

 

“O Jardim Botânico, assim como o zoo, além de ser uma grande área de lazer, vai desempenhar um papel essencial na formação da consciência ambiental de nossas crianças e adolescentes. E ainda vai chamar atenção dos pais para o tema”, acredita o prefeito, acrescentando que a obra está sendo realizada com recursos de compensação ambiental.

 

O secretário de Meio Ambiente, Maurício Ruiz, acompanha a obra de perto e anunciou os avanços. “A cada dia que passa a obra avança mais. Cerca de 50% do aterro está pronto e nivelado. A parte de drenagem do terreno foi reconstituída. O lago começa a ser feito e os caminhos começam a parecer, com a construção de meios-fios”, contou, lembrando que a Ilha vai continuar a sediar atividades culturais e eventos.

 

Por isso, também estão sendo reformadas a estrutura, incluindo pintura dos prédios antigos. O projeto ainda prevê relocação da área dos cavalos, mantendo as dimensões oficiais da pista, garantindo a possibilidade de futuras competições”, explicou Maurício.

  

 

Por Secom/VR com fotos de Evandro Freitas