Tema ‘Volta Redonda da Economia à Ecologia’ abordou crescimento com sustentabilidade

 

A Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), realizou nesta quinta-feira, dia 28, no auditório do Centro Universitário Geraldo Di Biase (UGB/FERP), a 5ª Conferência Municipal de Meio Ambiente. Com o tema ‘Volta Redonda da Economia à Ecologia’, o encontro reuniu associações de moradores, igrejas e centros espíritas, estudantes universitários e entidades diversas, fortalecendo a ideia de que o Meio Ambiente é responsabilidade de todos na sociedade civil, uma questão também suprapartidária.

 

Durante o evento, o prefeito Samuca Silva fez um comparativo do avanço nas políticas públicas ambientais. “É uma satisfação estar participando desta Conferência para políticas ambientais. O Mauricio Ruiz, secretário, e sua equipe, tem se dedicado muito neste trabalho. A cidade vem crescendo com sustentabilidade e batendo vários recordes. São metas que alcançamos e que foram registradas em cartório, como propostas do nosso plano de governo, conciliando desenvolvimento com sustentabilidade”, pontuou Samuca.

 

Como avanços na área, o prefeito citou o plantio de cinco mil mudas de árvores, número que deve chegar a 30 mil até o final do mandato e as obras do Jardim Botânico, na Ilha São João, um pulmão verde no centro urbano, cuja construção começa no início de dezembro com recursos garantidos e empresa contratada. Outro investimento citado foi o Parque Natural Municipal, que será feito na entrada da cidade com doação de terreno por particular. Tudo isso, além da sétima maior reserva de Mata Atlântica com o Vale dos Puris e a transformação das multas aplicadas à Companhia Siderúrgica Nacional que estão sendo direcionadas ao programa de conservação ambiental do município para a garantia de áreas verdes.

 

Além do prefeito Samuca Silva e do secretário de Meio Ambiente, Maurício Ruiz, que fez uma prestação de contas da atuação do governo em políticas ambientais, compuseram a mesa: o bispo da Igreja Católica, Dom Luiz Henrique; a representante das religiões com matriz africana, Mãe Célia; e o palestrante convidado, o analista ambiental do INEA (Instituto Estadual do Ambiente), Antonio Carlos Gusmão, que também é químico, advogado e professor universitário.

 

O bispo Dom Luiz Henrique destacou o trabalho que vem sendo feito para preservação do Meio Ambiente em Volta Redonda e se solidarizou com o poder público pelas atitudes corretas em políticas públicas ambientais. “O nosso planeta é a nossa casa. Não teremos outra casa para cuidar. Este é um desafio de buscar o desenvolvimento sustentável e integral. Parabéns à Secretaria de Meio Ambiente”, frisou Dom Henrique.

 

O secretário Maurício Ruiz lembrou que a Conferência é um compromisso que atende a lei que criou a secretaria. “Volta Redonda da Economia à Ecologia’ é o desafio de buscar o desenvolvimento econômico com sustentabilidade. Temos muitos exemplos, como o ônibus Tarifa Zero que não polui; o programa de plantio de árvores; o Jardim Botânico, que é um pulmão verde no centro urbano; o Parque Municipal de Volta Redonda; o novo Zoológico; a criação da Guarda Ambiental; a Coleta Seletiva; a reforma do Parque do Ingá; e o Vale dos Puris”, enumerou.

 

Durante a prestação de contas, o secretário afirmou que todas as multas ambientais que são aplicadas na atual gestão retornam em investimentos no meio ambiente da cidade, o que não ocorria antes por falta de projetos na área. “Nós temos uma agenda verde. E já conseguimos reverter R$ 12 milhões de multas aplicadas à Siderúrgica para o programa de recuperação ambiental. Não vamos tolerar crime ambiental e iremos multar, se preciso. Estamos lançando o Plano de Manejo do Parque do Ingá, refazendo a visão de cidade do aço para também cidade do verde e construindo o Parque Municipal Natural de Volta Redonda, em uma área de um milhão de metros quadrados doada ao município e que terá preservada a fauna e a flora”, assegurou.

 

Cursos da Universidade do INEA

 

Durante a Conferência, o analista do INEA e palestrante do evento, Antonio Gusmão, deu uma boa noticia para cidade, para onde pretende trazer cursos da Universidade do Meio Ambiente, escola corporativa do INEA, para treinar os técnicos da secretaria ambiental da prefeitura. Segundo informou Gusmão, os cursos serão indicados nas áreas de interesse do município.

 

“Entre os 92 municípios, 60 têm condições de receber capacitação e dar um licenciamento ambiental definitivo sem precisar do Estado. Nós queremos fazer de Volta Redonda a cidade pioneira, o primeiro município no estado a ter acesso ao novo licenciamento ambiental que está sendo debatido hoje em audiência pública. Um novo modelo está sendo implantado e será dada mais responsabilidade pelo órgão ambiental aos empreendedores”, garantiu.

 

 A 5ª Conferência também foi o palco da eleição dos novos 17 conselheiros e suplentes do Comdema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente), realizada ao final do encontro. Os novos conselheiros eleitos contam com seis representantes do governo municipal, um do poder executivo estadual ou federal, um da Câmara de Vereadores, além de oito representantes da Sociedade Civil. O presidente do Comdema é o secretário de Meio Ambiente, Maurício Ruiz Castelo Branco.

 

Por Afonso Gonçalves, fotos de Gabriel Borges, Secom