De janeiro a maio, SMMA registrou mais de 1,3 mil ocorrências sobre desmatamento e outras agressões a natureza

 

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado nesta quarta-feira, dia 5, e durante toda a semana também é celebrada a Semana do Meio Ambiente. Em Volta Redonda, diversos programas e ações vêm sendo realizados pela secretaria de Meio Ambiente (SMMA) e estão tornando a cidade um local mais verde e com mais qualidade de vida para a população.

 

Dentre as ações, estão a preservação de áreas verdes do município e o combate ao desmatamento e outras agressões contra a natureza. No período entre janeiro e o dia 20 de maio deste ano, foram registrados mais de 1,3 mil ocorrências destinadas ao Departamento de Controle Ambiental (DCA) e à Seção de Fiscalização Ambiental (SFA) – da SMMA.

 

As ocorrências são relacionadas a queimada e desmatamento irregulares, emissão de poluentes, poluição sonora e de rios e lagos, fiscalização ambiental, além de situações como mato alto e maus tratos a animais.

 

O secretário municipal de Meio Ambiente, Maurício Ruiz, conta que o município ganhou um reforço para combater esse tipo de ocorrência. Foi criada a Guarda Ambiental, vinculada à Guarda Municipal e que está sob a direção da (SMMA), atuando especificamente no combate a crimes ambientais.

 

“Em relação à fiscalização de desmatamento, foram atendidas mais de 1.200 denúncias nos últimos seis meses. Também foram apreendidas quatro motosserras na cidade, interditados mais de 25 obras irregulares. A quantidade de autos de infração e notificação aumentaram em mais de 70% com a vinda da Guarda Ambiental”, afirmou o secretário.

 

E grande parte das multas está sendo convertida para melhoria e fortalecimento da fiscalização, além de apoio na defesa e proteção dos animais abandonados na cidade.

 

Em 2019, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente firmou 19 TAC’s (Termos de Ajustamento de Conduta), com valor correspondente a R$ 61.070,25, que foram revertidos em serviços como consultas, remédios e castrações para os animais que são vítimas de maus tratos ou pertencem a acumuladores; uniformes e coletes para os guardas ambientais; etc. O valor dos TAC’s representam aproximadamente 5% do valor total das infrações (R$ 1.449.607,00).

 

Para o prefeito Samuca Silva, Volta Redonda está no caminho certo para se tornar uma cidade mais verde, investindo efetivamente em ações ligadas ao meio ambiente.

 

“Criamos o Refúgio da Vida Silvestre Vale dos Puris, lançamos a criação de dois parques: o Jardim Botânico, na Ilha São João, e o Parque Natural Municipal próximo à Rodovia dos Metalúrgicos. Tem também o programa de arborização urbana que tem como meta o plantio de mais de 50 mil mudas até 2020. É um legado que estamos deixando para a cidade”, afirmou o prefeito.

 

Por Raphael Martiniano com fotos de Gabriel Borges / SecomVR