Projeto ‘Siga em Frente’, da Secretaria de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, foi lançado na tarde desta quinta-feira, dia 14, na Aciap-VR

 

Convidar as empresas de Volta Redonda a se comprometerem a inserir no mercado de trabalho mulheres vítimas de violência, promovendo capacitação e autonomia financeira. Esse é o objetivo do projeto “Siga em Frente”, lançado na tarde desta quinta-feira, dia 14, pela Secretaria de Políticas para Mulher, Idosos e Direitos Humanos (SMIDH) de Volta Redonda, na sede da Aciap-VR (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Volta Redonda).   

 

De acordo com a secretária da pasta, Dayse Penna, as mulheres em situação de violência necessitam de ajuda para superar as barreiras sociais, culturais, econômicas e políticas que as impedem de procurar ajuda. “E a inserção no mercado de trabalho é uma ação prática para nortear, empoderar e fortalecer as mulheres para o enfrentamento das situações de violência, auxiliando a alcançar a independência financeira”, acredita.

 

Ela acrescentou que a equipe da SMIDH vai acompanhar essa mulher empregada durante um ano para verificar se tem dificuldades ou não no trabalho e ainda garantir suporte psicológico e emocional. “É uma situação nova, até então, preparávamos essa mulher para empreender, trabalhar por conta própria como autônoma. Agora, queremos colocá-la no mercado de trabalho”, explicou Dayse.

 

O vice-prefeito Maycon Abrantes elogiou a ideia e acredita que o trabalho, mais até que o salário, garante aumento da autoestima feminina. “Porém, defendo a valorização da dona de casa, que trabalha diariamente dispensando cuidado e atenção à família”, falou, lembrando que está nesse grupo o maior número de mulheres agredidas.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, apoiou a iniciativa e lembrou que o município, mais uma vez, sai na frente no cuidado com as mulheres. “É preciso garantir assistência completa às vítimas de violência dando condições para que mudem de vida. E a inserção no mercado de trabalho é mais uma ação dessa rede de atendimento”, afirmou o prefeito, lembrando que Volta Redonda conta com o CEAM (Centro Especializado de Atendimento à Mulher); a Central de Atendimento a Mulher pelo número 180; e a DEAM (Delegacia Especial de Atendimento à Mulher).

 

Aliás, a Polícia Civil também esteve representada no evento. A delegada Mônica Areal, que era titular da Deam em Volta Redonda e hoje está em Nova Iguaçu, é uma das idealizadoras do projeto “Siga em Frente”. “Durante o período que estive em Volta Redonda, a delegacia efetuou 60 prisões de agressores em dez meses, mas senti a necessidade de criar uma maneira de evitar que essa mulher volte a essa condição”, falou.

 

Além dela, também estavam no evento a diretora da Deams do Estado de Rio de Janeiro, Juliana Emerick, que aproveitou para apresentar a nova delegada da Deam de Volta Redonda, Laísa Batista Lara. “Me comprometo a atuar ao lado da SMIDH e pelas mulheres do município”, disse.

 

O secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães, afirmou “O nosso papel hoje aqui é contagiar outras empresas a também aderirem a esse projeto. Fico feliz de ver tanta gente importante e de peso envolvida numa iniciativa tão bonita e tão importante para a nossa cidade”, frisou Joselito.

 

A CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) foi a primeira empresa a se interessar pelo projeto e se comprometer a participar do “Siga em Frente”. Durante o evento, o coordenador de Recursos Humanos da empresa, Rafael Paiva, afirmou que o projeto vai de encontro à política da empresa de aumentar o número de mulheres atuando na indústria. “E a CSN tem condições de capacitar essa mulher que sofreu violência inseri-la no mercado de trabalho com diversos benefícios como a creche para os filhos pequenos”, disse.

 

Anielli França e Isabella Di San representavam uma escola de idiomas que funciona na Rua 33, na Vila Santa Cecília. “Viemos conhecer melhor o projeto, mas a empresa tem intenção de participar, por entender que é importante cuidar da sociedade onde se atua”, falou Anielli. Também estavam representados o Shopping Park Sul, o grupo Royal de Supermercados, além de outras empresas.   

 

Por Renata Borges com fotos de Gabriel Borges – Secom/VR