Fórum realizado em parceria entre Smidh e conselho municipal teve apresentação de demandas e propostas que serão base de plano municipal

 

Moradora há 32 anos do bairro Vila Mury, em Volta Redonda, Maria Aparecida de Oliveira Alves participou na manhã desta quarta-feira, dia 28, do Fórum Municipal de Políticas para Idosos, realizado no auditório do UGB (Centro Universitário Geraldo Di Biase), no Aterrado. Ela conta que é a primeira vez que participa de um evento como esse, que visa o debate com a sociedade sobre políticas públicas para idosos.

 

“Somos de um grupo de convivência da Terceira Idade, da Vila Mury, onde sou a coordenadora. Temos algumas necessidades e, como surgiu esse fórum, vim ver se teremos algo que atenda a gente. E também ver quais políticas serão debatidas, se teremos alguma novidade boa”, contou Maria Aparecida, que coordena o Grupo de Convivência da Terceira Idade Arco-íris.

 

Realizado em parceria entre a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (Smidh) e o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDDPI), o fórum contou com a participação de secretários municipais, representantes de autarquias e da sociedade civil.

 

De acordo com o presidente do conselho, Kaíque Lopes Maia, no início do ano foi iniciado o processo de construção da política pública para o idoso, através da 5ª Conferência Municipal do Idoso, realizada em maio. Segundo ele, também foram promovidas rodadas de diálogos em grupos de convivência para levantar quais eram as demandas nos quatro eixos que baseiam a construção da política pública para essa população: saúde; assistência social; violação de direitos; e cultura, esporte e lazer.

 

“Este fórum é o último espaço para entender o que é a demanda da população idosa de Volta Redonda, para daí construir um plano, um documento legal, para orientar a atual e as próximas gestões do governo. A ideia é que em setembro a gente consiga apresentar um documento com um diagnóstico da pessoa idosa, o que foram as demandas levantadas por essa população e as próprias propostas que eles apresentaram. É uma forma de trazer a população para participar da gestão e democratizar a gestão pública”, afirmou Kaíque, que foi o primeiro a falar na mesa de abertura do fórum.

 

Em seguida, foi a vez da subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, Renata Lopes, que estava representando a secretária da pasta, Dayse Penna.

 

Para a subsecretária, o fórum é de suma importância, porque ele faz parte da construção do Plano Municipal de Políticas Públicas para a Pessoa Idosa. “Nós temos que ouvir a sociedade, a pessoa idosa, para que eles possam junto da prefeitura, da secretaria, proporem políticas públicas. Temos que ouvir eles para que se construa um plano municipal de ações, de programas voltados para a pessoa idosa. A Smidh foi criada com esse intuito de coordenar, formular políticas públicas junto com as demais secretarias do município, e hoje estamos aqui para colaboramos na formatação, na construção do plano”.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, elogiou a realização do fórum e destacou o papel da atual gestão na construção das políticas públicas para os idosos do município.

 

“O primeiro passo foi a criação da secretaria (Smidh). Iniciamos hoje a consolidação e queremos deixar um legado que é o plano municipal. Já implantamos muitas melhorias como a abertura do Restaurante Popular, a criação do Hospital do Idoso, e a cidade conta com serviços especializados como a Academia da Vida, os grupos de convivência, o programa Melhor Idade em Movimento, e precisamos avançar mais. Esse plano vai atender também aos nossos jovens, que um dia irão envelhecer e terão uma cidade melhor ainda para se viver”, ressaltou o prefeito.

 

O vice-prefeito do município e presidente da Cohab-VR (Companhia de Habitação de Volta Redonda), Maycon Abrantes, aproveitou a ocasião para lembrar de sua participação quando à frente da Secretaria de Ação Comunitária, promovendo ações em prol dos idosos, e destacou o papel da Cohab-VR na construção das políticas públicas para a terceira idade.

 

“O índice de população idosa em Volta Redonda está acima da média nacional. Sabemos da importância do envelhecimento saudável. Estamos buscando tratar também o assunto da habitação para a pessoa idosa, e seguimos buscando o que mais a cidade pode oferecer a essa população”, afirmou Maycon.

 

Por Raphael Martiniano, com fotos de Evandro Freitas / SecomVR