Tarifa Comercial Zero atinge a marca de 90 mil passageiros transportados em cinco meses

Ônibus elétrico atende cerca de 20 mil usuários por mês entre os centros comerciais de Volta Redonda

 

Completando cinco meses de operação nesse mês de dezembro, o Tarifa Comercial Zero atingiu a marca de 90 mil passageiros desde o início das operações circulando gratuitamente entre os principais centros comerciais de Volta Redonda. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães, destacou a importância dos números alcançados para a economia da cidade e disse que esse foi o primeiro ônibus elétrico público do Brasil.

 

“São quase mil pessoas circulando diariamente e de forma gratuita entre as áreas comerciais do Retiro, Aterrado, Avenida Amaral Peixoto (Centro) e Vila Santa Cecília. São mais clientes acessando os estabelecimentos e movimentando a economia, gerando emprego”, explicou Joselito.

 

Os pontos de parada do ônibus elétrico são: Rua 4-C, próximo ao Escritório Central; Rua Campos, no Retiro; Rua Gustavo Lira, no Centro; Avenida Paulo de Frontin (em frente à prefeitura); Rua Eduardo Junqueira (Centro); Avenida Lucas Evangelista, no Aterrado (em frente ao Sesi).

 

 O Tarifa Comercial Zero cria um shopping a céu aberto ao integrar os centros comerciais. O cidadão não paga nada para ir de um bairro ao outro. Isso facilita na hora de pesquisar preços, por exemplo. Melhora para o cidadão, para o comércio e para a mobilidade urbana. Com ar condicionado, internet Wi Fi e ligações USB para recarregar aparelhos moveis, o Tarifa Comercial Zero circula de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, e no sábado, até as 14h.

 

O prefeito Samuca Silva lembrou que o veículo não polui o meio ambiente por ser elétrico, além de ser silencioso e confortável.  “O Projeto é tão inovador que já foi premiado, no Prêmio Prefeito Empreendedor do Sebrae. Mas, mais que isso é aquecer a economia, levando os consumidores aos principais centros comerciais da cidade, sem interferir nas linhas convencionais. Além disso, o veículo não provoca poluição sonora e nem atmosférica. Com tudo isso, melhoramos a mobilidade de Volta Redonda”, finalizou Samuca.

 

Por Renan Ferreira, com fotos de arquivo – Secom/VR