Ações de combate ao mosquito priorizaram a conscientização dos moradores contra o Aedes Aegypti

 

A Secretaria de Saúde de Volta Redonda, por meio da Coordenadoria de Vigilância Ambiental, realizou neste sábado, dia 16, ações pelo Dia D de combate à Dengue, Zika e Chikungunya. O bairro Dom Bosco e região foi o ponto de partida das equipes para as visitas domiciliares. Agentes de endemias foram nas casas para eliminar focos do mosquito e principalmente orientar os moradores. 

 

Houve distribuição de material educativo para que as pessoas possam identificar os  possíveis criadouros do mosquito e agirem na eliminação dos mesmos. Além de conscientizar, os agentes recolheram grande quantidade de garrafas, pneus velhos, e outros produtos descartáveis que estavam em quintais servindo criadouros da dengue.

 

De acordo com a coordenadora da Vigilância Ambiental, Janaína Soledad, os principais focos do Aedes Aegypti estão dentro de casa, nos pratinhos de plantas e no lixo armazenado de forma incorreta. “Por isso, a importância de realizar a uma vistoria toda semana em sua casa. Você fiscaliza os ralos, vasos de plantas e recolhe algum lixo ou entulho acumulado. O mosquito leva de 7 a 10 dias entre a eclosão do ovo e a fase adulta. Fazendo a vistoria, consegue-se interromper este ciclo”, disse.

 

No bairro Califórnia, de Barra do Pirai, que faz divisa com o Dom Bosco, o trabalho de combate ao mosquito foi de parceria com a prefeitura daquele município.

 

Hoje, Dia D, nós estamos fazendo a intensificação da ação de combate. O mosquito tem asas e voa. Ele não respeita nenhum limite e pode contaminar  qualquer pessoa, onde ela estiver. Com o trabalhando em conjunto, o resultado é mais eficiente”, comparou Janaína. 

Moradores aprovam trabalho

 

Não adianta eu cuidar do meu quintal se o vizinho não olhar o lado dele. Na minha Igreja têm duas mulheres, moradoras, que já pegaram dengue. Eu olho o meu quintal todos os dias. É importante este trabalho da Vigilância, mas o morador tem que colaborar ”, diz o pedreiro Carlos Alberto, 48.

 

A dona de um bar na Avenida Paraíba, dona Luzia Maganha Vargas de Lorena, 58, também agradeceu a vistoria. “Neste bairro tem gente que já pegou dengue porque não se cuidou, não olhou o quintal. Eu olho sempre porque eu tenho medo dessa doença, a minha mãe é uma pessoa muito idosa e não pode ser picada pelo mosquito. A gente agradece ao prefeito a atenção”, disse.

 

O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, comentou a ação no Dia D. “Todos moradores tem que estar envolvidos no combate ao Aedes Aegypti para evitar a transmissão dessas doenças. Cuidando do seu quintal e orientando o vizinho, com certeza, vamos amenizar muito as possibilidades de transmissão das doenças”, aconselhou o secretário.

 

Texto de Afonso Gonçalves, fotos de Gabriel Borges, SecomVR