Ação aconteceu no bairro Siderlândia onde 70 agentes visitaram cerca de duas mil casas

 

A precaução contra o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya não para, em Volta Redonda. Neste sábado, dia 26, 70 profissionais da Secretaria de Saúde do município fizeram um mutirão contra o Aedes aegypti no bairro Siderlândia.

 

Uma equipe formada por agentes de endemias da Vigilância Ambiental e agentes comunitários de saúde, da Atenção Básica, atuaram no local fazendo visitas domiciliares. A ação começou às 8h, com concentração na Unidade Básica de Saúde do Siderlândia na rua 11 e foi até 14h.

 

A ideia do mutirão foi de mobilizar os moradores do bairro no combate aos criadouros do mosquito. O papel dos agentes foi de vistoriar os domicílios para identificar possíveis criadouros e orientar os moradores para os riscos dentro de casa. Qualquer material que possa acumular água deve ser eliminado ou tampado para evitar a proliferação do Aedes aegypti.

 

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, explicou que a ação de hoje foi a primeira de uma série que está por vir em todo o município. “Essa é uma ação da prefeitura de Volta Redonda que visa a prevenção e o combate ao mosquito, assim a população e a secretaria, juntos, irão combater essa doença. Julgamos necessários esses mutirões nessa época do ano, pois é quando os riscos se  intensificam. Avançando com diálogo e eficiência, a prefeitura esse governo vai trabalhando para melhorar a saúde da população”, enfatizou Alfredo. 

O bairro Siderlândia tem cerca de três mil domicílios e durante a ação foi vistoriado pelo menos duas mil residências. “Queremos unir os moradores a nossa equipe de profissionais e ampliar o alcance da ação”, completou Alfredo.

 

A moradora do Siderlândia, dona Adelia Batista, de 72 anos, disse que essa ação da prefeitura é realmente muito importante para orientar a população sobre o que é certo e o que é errado. “Eu mesma já deixei acumular água em potes sem saber que era um possível foco de transmissão. Hoje em dia, eu fiscalizo o meu quintal toda semana e sempre recebo os agentes para me ajudar nessa fiscalização”, contou.

 

As ações de prevenção à proliferação do Aedes aegypti e orientação à população são realizadas durante todo ano. O trabalho dos agentes de endemias é intensificado entre os meses de outubro e março. A chegada do período chuvoso e do calor facilita a reprodução do mosquito e, consequentemente, há maior disseminação das arboviroses como a dengue, zika e chikungunya.

 

Outra moradora que também colabora com a ação é Palmira Santos, de 49 anos. “Eu mesma já tive dengue e sei como essa doença é muito ruim. Depois disso, nunca mais deixei nenhum pote com água parada, ou garrafas destampadas”, explicou.

 

A coordenadora da Vigilância Ambiental, Janaína Soledad, avisou ainda que, a partir da próxima semana, os agentes de endemia da Vigilância Ambiental começam a percorrer todo município para a realização do LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti). “O trabalho leva 15 dias para ser concluído e o resultado vai guiar as ações contra a proliferação do mosquito”, finalizou.

 

Por Renan Ferreira com fotos de Evandro Freitas - Secom/VR