Além do Cemurf, população passou a contar com o serviço em unidade descentralizada no bairro Água Limpa e em oito unidades da Atenção Básica

 

O Centro Municipal de Reabilitação Física Tuffi Rafful (Cemurf) fechou o ano de 2018 com a marca de 21.587 pacientes atendidos. O número comprova o crescimento do serviço prestado à população em relação ao ano passado, que computou 16 mil atendimentos. Os quase seis mil pacientes assistidos a mais que em 2017 são resultado de investimentos do governo municipal na descentralização do serviço.

 

Em abril de 2018 foi implantada a Unidade Descentralizada de Fisioterapia João Gonzaga, no bairro Água Limpa, e também neste ano o atendimento de fisioterapia foi ampliado para oito unidades da Atenção Básica da secretaria municipal de Saúde – Conforto, Eucaliptal, Volta Grande, Siderlândia, duas no Retiro, Dom Bosco e Jardim Belvedere.

  

A avaliação continua centralizada no Centro de Reabilitação Física de Volta Redonda e os pacientes são encaminhados por médicos especialistas que atuam na Policlínica da Cidadania – ortopedistas, neurologistas, urologistas ou cardiologistas -, ou pelo Hospital São João Batista, para recuperação pós-operatória.

 

O horário de atendimento no Cemurf é das 7h às 12h e das 13h às 18h, mas para agendamento da avaliação, o paciente pode procurar o centro das 8h às 12h e das 13h às 16h. O Centro de Reabilitação Física de Volta Redonda funciona no Estádio Raulino de Oliveira, Rua 552, bairro Jardim Paraíba.  

 

O Cemurf atende aos pacientes com problemas agudos, que têm prioridade, normalmente pós-operatório, e distúrbios crônicos como dores de coluna, desordem das mãos, disfunção orofacial e outros. “Entre as principais demandas estão pacientes com traumato ortopedia, problemas neurológicos, urológicos, respiratórios ou cardíacos, além de fisioterapia preventiva”, acrescentou o coordenador do Cemurf, Vladimir Lopes de Souza.  

 

Além do RPG (Reeducação Postural Global), que tem como finalidade corrigir problemas de postura através de técnicas específicas de alongamento do tecido muscular, e do pilates método de condicionamento físico, com exercícios de alongamento, que aparentemente são suaves, mas que exigem força e elasticidade, o Cemurf ainda conta com outros serviços especializados.

 

O centro oferece acupuntura; a “Escola de Coluna”, um atendimento em grupo; osteopatia, terapia manual; e sala de espera, com orientação para o auto cuidado. Para execução de todos os serviços, que incluem os atendimentos nas áreas traumatoortopédica, neurofuncional, uroginecológica, respiratória, reunatológica e cardiovascular, a Rede Municipal de Fisioterapia conta com 71 profissionais da área.

 

O coordenador Vladimir Lopes, afirmou ainda que esses profissionais ainda realizam atendimento em mastectomizadas na Policlínica da Mulher. “A ideia é levar para a policlínica os serviços uroginecológicos e a fisioterapia para gestantes”, falou, lembrando que o município ainda mantém convênio com a Apadefi (Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Físicos) para atendimentos de neurologia e hidroterapia.    

 

Entre os pacientes de RPG está Cristina Lopes, que é paciente do Cemurf há dois anos. De acordo com a fisioterapeuta Francine Antoniel Barbosa Costa, ela passou pela fisioterapia, mas por conta de um problema crônico de coluna foi encaminhada para as sessões de RPG. “Com esse tratamento estou me sentindo melhor. Passo mais tempo sem as dores”, contou Cristina.

 

A fisioterapeuta Gláucia Oliveira, que trabalha com problemas neurológicos, também atende o Sr. Gessi Rezende há dois anos. “O Parkinson compromete os movimentos e a fisioterapia garante melhor qualidade de vida”, disse. O Sr. Gessi endossa as palavras da profissional. “Não posso ficar parado”, falou.

 

A professora Marli Moreira Silva Barbosa faz pilates com o fisioterapeuta Vinícius Gangana de Oliveira. “Tenho próteses nos dois joelhos e cheguei aqui com dores na coluna e braços. Estou muito melhor. Me esforço para fazer os exercícios, pois sinto os benefícios”, disse Marli.

 

De acordo com o secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, o serviço de fisioterapia merece atenção especial do governo Samuca Silva. “Tivemos total apoio para a implantação do serviço de RPG e pilates. E ainda investimos no atendimento descentralizado”, afirmou.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, destacou a importância das unidades descentralizadas no município. “Estamos trabalhando para levar os nossos serviços para os bairros para dar maior conforto aos moradores. A unidade descentralizada do Água Limpa foi a primeira e há um planejamento para implantação de unidades similares em outros dois bairros. Também vamos ampliar as unidades da Atenção Básica com serviço de fisioterapia. O objetivo é evitar que os pacientes precisem se deslocarem até o Cemurf para receber o tratamento”, disse Samuca.

 

Por Renata Borges com fotos de divulgação – Secom/VR