Médicos estão em processo de contratação

 

A Prefeitura de Volta Redonda continua investindo em saúde. Para isso, estão sendo contratados médicos para atuarem na Estratégia da Saúde da Família, na Atenção Primária, reforçando o atendimento médico em 28 unidades. Entre os profissionais estão médicos generalistas, pediatras e ginecologistas, que irão compor a equipe das 46 unidades básicas de saúde do município.

 

De acordo com o prefeito Samuca Silva, a chegada dos novos profissionais vai propiciar à população de Volta Redonda um atendimento mais ágil e eficiente. “Estamos cuidando do atendimento na ponta, nas unidades de saúde que ficam perto da casa dos cidadãos. Atualmente, todas as unidades funcionam, mas com a contratação desses médicos vamos melhorar, ainda mais, esse atendimento”, disse o prefeito.

 

Os 13 generalistas estão sendo contratados para atuar nas Unidades Básicas de Saúde da Família dos seguintes bairros: Volta Grande, Vila Brasília, São João, Três Poços, Siderlândia, Vila Rica/Tiradentes, Mariana Torres, Roma II, Belmonte, Roma I, Vila Brasília, Belo Horizonte e Verde Vale.

 

Os oito pediatras vão reforçar as equipes das Unidades Básicas dos bairros Água Limpa I, Santo Agostinho, Roma II, Caieiras, São Carlos, São Lucas, 249 e Eucaliptal. Já as unidades dos bairros Retiro I, Retiro II, Açude I, Açude II, Coqueiros, Mariana Torres e Verde Vale estão recebendo um ginecologista cada uma, num total de oito especialistas contratados.

 

Jussara Moreira de Oliveira, coordenadora da Atenção Primária à Saúde, destaca que o processo de contração desses profissionais busca ampliar um atendimento que não foi paralisado e que será ampliado. “Reconhecemos que algumas unidades estão precisando fazer lotação de profissional, porém nós não temos desassistência em Volta Redonda. Justamente porque existe um processo organizacional para que possamos garantir o atendimento em todas as unidades. Não há cidadão sem atendimento na rede básica”, disse a coordenadora.

 

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, explicou que, na Estratégia da Saúde da Família, a especialidade não é composição obrigatória de equipe. “O médico generalista é quem faz a linha de cuidado. Quando há uma necessidade, um risco de vulnerabilidade social de um agravo, esse, paciente, são referenciados aos especialistas que atendem na unidade”, disse o secretário.

 

SecomVR