Volta Redonda tem segunda etapa da Campanha de Vacinação Antirrábica Animal

Município terá 18 postos abertos das 8h às 17h para vacinar cães e gatos

 

Volta Redonda realiza neste sábado, dia 29, a segunda etapa da Campanha de Vacinação Antirrábica Animal. O município vai disponibilizar as doses, que são gratuitas, para cães e gatos em 18 postos, das 8h às 17h. O último sábado, dia 22, primeiro dia de vacinação, superou as expectativas da Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde de Volta Redonda, que organiza a campanha. Quase 11,5 mil animais foram imunizados.

 

De acordo com a coordenadora da Vigilância Ambiental do município, Janaína Soledad, o número total de animais em Volta Redonda com indicação para vacina é de 25 mil. O objetivo é imunizar 75% deste público, 18.750 animais. “Com isso, esperávamos vacinar em torno que 9,5 mil entre cães e gatos, 50% da meta, no último sábado, dia 22. Mas o resultado surpreendeu positivamente e o número foi ainda maior”, afirmou Janaína, acrescentando que para este fim de semana, a expectativa é vacinar 8 mil animais.   

 

Em toda cidade, estarão abertas 15 Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF), um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e duas escolas municipais. Entre as Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs) vão funcionar as do Retiro III, na Avenida Antônio de Almeida; Vila Mury; Açude I; Açude II; 249; São Lucas; Eucaliptal; Conforto; Belmonte; Jardim Belmonte; Siderândia; Ponte Alta; Mariana Torres; e Vila Brasília.

 

Os moradores do Retiro também podem levar seus animais na Escola Municipal Amaral Peixoto para vacinar; no bairro Niterói a Escola Municipal Santos Dumont será posto de vacinação; e no Belo Horizonte, as doses serão aplicadas no CRAS (Centro de Referência à Assistência Social) do bairro.

 

O secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, ressalta que a vacina antirrábica é única forma de prevenção segura da doença, e deve ser administrada em animais a partir dos quatro meses. “É bom alertar que a doença é incurável nos animais e quando transmitida para seres humanos, também pode ser extremamente agressiva e até fatal”, ressaltou Alfredo.

 

Por Renata Borges com fotos de arquivo Evandro Freitas