Para consultar, basta ir até a Praça Brasil, das 8h às 17h, nesta terça-feira, dia 24

 

Após passar por vários estados e municípios brasileiros, o “Projeto Roda Hans – Carreta da Saúde”, do Ministério da Saúde, chegou a Volta Redonda nessa segunda-feira, dia 23, e fica até a terça-feira, dia 24. A carreta está na Praça Brasil, das 8h às 17h, com toda estrutura focada para a conscientização sobre a importância da identificação precoce de hanseníase. Volta Redonda é pólo para os municípios vizinhos de Pinheiral, Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores e Valença. No primeiro dia foram atendidas mais de 100 pacientes.

 

A médica apoiadora das ações de controle de Hanseníase, do Ministério da Saúde, Celijane Melo, explica que a carreta faz parte de um projeto para treinar os profissionais que atuam na Atenção Básica, nas ações de diagnóstico e manejo clinico da hanseníase. “Esse projeto acontece em dois momentos. Primeiro é feito uma capacitação teórica com esses profissionais. O segundo momento, que é a prática do que eles aprenderam, é feita durante o atendimento a esses pacientes dentro da carreta. Aproveitamos também para fazer o diagnóstico dos casos que aparecerem”, explicou Celijane Melo.

 

Segundo o secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, pessoas com mancha na pele e sem sensibilidade nela devem fazer a sua consulta. "Nossa meta é realizar busca ativa de novos casos e de quem teve contato com pacientes, além de capacitar os profissionais para serem multiplicadores na assistência integral", disse o secretário.

 

O prefeito Samuca Silva faz um apelo para que a população aproveite para fazer a sua consulta. “Em Volta Redonda estamos priorizando a Saúde e buscando sempre as parcerias com ações que viabilizem o melhor atendimento ao cidadão, no principal aspecto que é voltado a prevenção. A população está tendo a oportunidade de forma gratuita de buscar informações sobre ahanseníase e se cuidar”, disse o prefeito.

 

A aposentada Rosangela Maria Ramos, 55 anos, moradora do bairro Bela Vista estava aguardando para ser atendida. “Meu marido e eu temos manchas e estamos aproveitando que a carreta está em Volta Redonda para verificar. A gente veio a uma consulta e fomos abordados por uma enfermeira. Cuidar da saúde é muito importante”, disse a aposentada.

 

 

O Roda Hans é uma unidade itinerante com cinco consultórios e um laboratório para realização da baciloscopia (exame que detecta a hanseníase), além de biopsia. O projeto inclui também um treinamento prático com profissionais da rede municipal de saúde. Novos casos diagnosticados iniciam o tratamento imediatamente, e são direcionados para acompanhamento nas unidades de saúde do município de residência.

 

A médica Silvia Melo dos Santos, da Estratégia de Saúde da Família, do bairro Vila Brasília, está sendo treinada para atender na sua unidade de saúde. “A Atenção Primária é a porta de entrada do SUS e nada melhor que os profissionais que estão inseridos dentro dela se capacitarem para observar as lesões da hanseníase. Se a gente não avaliar precocemente a pessoa pode desenvolver as comorbidades incapacitantes, caso tenha a doença. Diagnosticar precocemente faz com que a gente consiga evitar que as pessoas padeçam das complicações da doença”, disse a médica.

 

Por Fátima Santos com fotos de Gabriel Borges - Secom - VR